Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/100
Tipo: Dissertação
Título: Hábitos de saúde e qualidade de vida de universitários da área da Saúde
Título(s) alternativo(s): Health habits and quality of life of university students from the the Health area
Autor: Carleto, Cíntia Tavares 
Primeiro orientador: Pedrosa, Leila Aparecida Kauchakje
Resumo: A educação superior vem se expandindo cada vez mais, principalmente, pela criação de políticas governamentais de acesso às universidades, ocasionando o aumento e a heterogeneidade de seu alunado. Os estudantes vivenciam de forma diferente o contexto universitário a partir de suas experiências e características pessoais que repercutem na sua qualidade de vida (QV) e saúde. Este estudo objetivou analisar os hábitos de saúde e a QV de estudantes universitários dos cursos de graduação da área da Saúde de uma Instituição Federal de Ensino Superior; caracterizar os universitários da área da Saúde sociodemograficamente; identificar os hábitos de saúde dos alunos dos cursos de graduação da área da Saúde; comparar os hábitos de saúde e a QV entre os períodos iniciais, intermediários e finais e entre os sexos; mensurar a QV e identificar a relação entre os preditores sexo, renda familiar mensal, períodos dos cursos, informações em saúde recebidas, hábitos inadequados, autoavaliação da saúde e os escores de QV. Trata-se de um estudo observacional, seccional, de abordagem quantitativa, que utilizou três questionários para coleta de dados: o sociodemográfico e clínico, o National College Health Risk Behavior - NCHRB e o WHOQOL-bref. Os dados foram analisados no programa estatístico SPSS 17.0. Foram investigados 253 universitários, 72,3% eram do sexo feminino, a média de idade foi de 22,4 anos, a maioria era solteira, cor da pele branca, migrante, residia com amigos, sem doenças crônicas e com muito boa percepção de saúde. Os hábitos relacionados ao consumo de drogas ilícitas, a frequência de relação sexual nos últimos 30 dias e as informações em saúde recebidas sobre prevenção de DST, HIV/AIDS e hábitos dietéticos e nutricionais apresentaram-se estatisticamente significativos e aumentaram entre os alunos dos últimos períodos. Os hábitos de segurança e violência, como o envolvimento em briga física nos últimos 12 meses, apresentaram significância estatística, evidenciando que os homens envolveram-se mais em brigas físicas do que as mulheres. Em relação ao consumo de substâncias, observou-se uma diferença estatisticamente significativa indicando que os homens consumiram bebida alcoólica, apresentaram maior frequência de fumo regular e utilizaram maconha com maior frequência do que as mulheres. Os alunos apresentaram melhor percepção de QV no domínio Físico e percepção inferior de QV no domínio Meio Ambiente. A análise de regressão linear múltipla apontou que o preditor autoavaliação da saúde foi estatisticamente significativo para os quatro domínios de QV, indicando que quanto melhor a percepção de saúde, melhor a QV. Observou-se relação significativa entre o preditor renda e o domínio Meio Ambiente, indicando que, quanto melhores as condições financeiras, melhor a percepção de QV para este domínio. Foi possível estabelecer, na análise bivariada, uma relação entre os hábitos de saúde e QV, indicando que os hábitos saudáveis contribuíram para a saúde e a QV dos universitários. Os resultados desta pesquisa podem contribuir com o desenvolvimento e com a implementação de ações de assistência estudantil, que visem à promoção da saúde e à melhoria da qualidade de vida discente, bem como, a prevenção de hábitos de risco e de adoecimento no ambiente universitário.
Resumo: College education has been increasingly expanding, mainly through the creation of governmental policies of access to universities, resulting in the increase and heterogeneity of its students. Learners are affected by the university context in a different way depending on their experiences and personal features which reflect on their quality of life (QOL) and health. This study aimed to analyze the health habits and QOL of university students from the bachelor degree courses in the Health area from a Federal Institution of College Education; depict the students from the health area sociodemographically; identify the health habits of students from the bachelor degree courses of the health area; compare the health habits and the QOL among the first, intermediate and final terms and between the sexes; measure the QOL within its domains and identify the relation among the predictors sex, monthly family income, course terms, health information received, inadequate habits, self-evaluation of health and QOL scores. It is an observational, sectional and of quantitative approach study, which relied on three questionnaires for data collection: the sociodemographic and clinic, the National College Health Risk Behavior, NCHRB and the WHOQOL-bref. The data have been analyzed in the statistical program SPSS 17.0. 253 university students have been investigated, 72,3% were females, the age average was 22,4 years, most were single, with white skin, migrant, residing with friends, free of chronic diseases and had a great health perception. The habits related to the use of illegal drugs, the frequency of sexual intercourse in the past 30 days and the health information received about STD prevention, HIV/AIDS and dietetic and nutritional habits proved statistically significant and increased among final term students. The safety and violence habits, such as the involvement in physical fight in the past 12 months, showed statistical significance, proving that men got involved in more physical fights than women. Regarding drug use, a statistically significant difference has been noticed indicating that men consumed alcohol, showed higher frequency of regular smoking and used marijuana more often than women. The students demonstrated better QOL perception in the Physical domain and lower perception in the Environment domain. The multiple linear regression analysis showed that predictor self-evaluation of health was statistically significant for the four QOL domains, meaning that the better the health perception, the better the QOL. A significant relation between the income predictor and the Environment domain was noticed, proving that the better the financial conditions, the better the QOL perception for this domain. It was possible to establish, in the bivariate analysis, a relation between health habits and QOL, indicating that healthy habits contributed to health and QOL of students. The results of this study may contribute to the development and implementation of actions for student assistance which aim the promotion of health and improvement of quality life of students, as well as the prevention of risk habits and disease in the university environment.
Palavras-chave: Estudantes de Ciências da Saúde
Qualidade de vida
Conduta de saúde
Students, Health Occupations
Quality of life
Health behavior
Área do CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
Idioma: por
País: BR
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Atenção à Saúde das Populações
Programa: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde
Citação: CARLETO, Cíntia Tavares. Health habits and quality of life of university students from the the Health area. 2012. 123 f. Dissertação (Mestrado em Atenção à Saúde das Populações) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Data do documento: 13-Dec-2012
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Cintia T Carleto.pdf1,18 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.