Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/101
Tipo: Dissertação
Título: Avaliação da qualidade de vida e contexto de trabalho da equipe de enfermagem da ESF de Uberaba- MG
Título(s) alternativo(s): Quality of life assessment and the working context of the nursing staff from Family Health Strategy (FHS) in Uberaba-MG
Autor: Gontijo, Laís Marques 
Primeiro orientador: Pedrosa, Leila Aparecida Kauchakje
Resumo: Os profissionais de enfermagem destacam-se na reorientação do modelo assistencial de saúde proposto pela ESF, do MS. Desempenham suas funções junto à equipe de SF visando essencialmente à promoção à saúde. No contexto de trabalho desses profissionais, tem sido possível perceber diversas situações de desgaste, as quais podem gerar comprometimento à qualidade de vida (QV) dos mesmos. Visualizar a dinâmica laboral dos trabalhadores de enfermagem é essencial no planejamento de políticas públicas e sociais que visem ambientes organizacionais mais saudáveis. Este estudo objetivou analisar a relação entre o contexto de trabalho e a QV da equipe de enfermagem da ESF de Uberaba (MG). Trata-se de uma pesquisa quantitativa, seccional, realizada com 92 profissionais de enfermagem, entre maio e agosto de 2012. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos da UFTM, protocolo nº 2278. Os participantes responderam um instrumento contendo variáveis sociodemográficas, econômicas e de trabalho; outro, para avaliação do contexto de trabalho (ECORT); e outro, para avaliação da QV (WHOQOL- bref). Os dados foram duplamente digitados no programa Microsoft Excel®, e importados ao SPSS, versão 20.0, para análise. Foram realizadas análises descritivas de todas as variáveis quantitativas. Para verificar possíveis associações entre as variáveis, foi utilizado o coeficiente de correlação de Pearson (r) para variáveis quantitativas (bivariadas), o coeficiente de correlação de Spearman para as variáveis qualitativas ordinais, o Teste t de Student para amostras independentes e, quando necessário, o teste de Mann-Whitney, como alternativa não paramétrica. Ainda foram realizadas duas regressões lineares múltiplas, tendo o domínio ambiental e o psicológico de QV como desfecho e as variáveis preditoras; sexo, idade, categoria profissional, presença de doença ocupacional e o domínio condições de trabalho da ECORT. Os participantes eram majoritariamente do sexo feminino (94,6%), com idade entre 25 e 35 anos (41,3%) e tinham companheiro (51,1%). Quanto ao perfil profissional, 90,2% tinham 5 anos ou 8 mais na profissão; 93,5% referiram não possuir doença ocupacional, 76,1% referiram não ter faltado ao trabalho ou ter estado de licença e 69,6% declararam não ter sofrido acidente ocupacional no último ano. O domínio mais afetado da ECORT foi o de condições de trabalho, sendo que, os itens que mais impactaram negativamente foram referentes ao bem estar dos funcionários, ao barulho e a não existência de política de progressão funcional. O domínio do WHOQOL- bref que apresentou menor escore foi o ambiental (58,25 pontos). Os enfermeiros apresentaram maiores escores de QV se comparados aos técnicos de enfermagem, para os domínios, físico e ambiental. Os homens apresentaram médias mais altas em todos dos domínios de QV, sendo estatisticamente significante para o domínio ambiental. O grupo com doença ocupacional apresentou pior QV quanto aos domínios físico, psicológico e meio ambiente, ao ser comparado com o grupo sem doença ocupacional. Concluiu-se com os resultados da análise de regressão linear múltipla que, ser mulher, apresentar doença ocupacional e piores condições de trabalho, impactaram negativamente no domínio ambiental de QV; e, ter piores condições de trabalho e presença de doença ocupacional impactaram negativamente o domínio psicológico de QV.
Resumo: The nursing professionals stand out in the reorientation of the health assistant model proposed by FHS, from MS. They play their role along with the FH staff aiming essentially health promotion. In these professionals working context, it has been possible to notice various exhaustion situations, which may compromise their quality of life (QOL). The capacity to visualize the labor dynamics of nursing workers is essential to the planning of social and public policies which aim healthier organizational atmospheres. This study aimed to analyze the relation between the working context and QOL of the nursing staff of FHS in Uberaba (MG). It is a quantitative and sectional study carried out with 92 nursing professionals between May and August of 2012. The project has been approved by the Committee on the Ethics of Research on Human Beings from UFTM, protocol number 2278. The participants answered an instrument containing sociodemographic, economic and work variables; one for working context assessment (ECORT); and another one for the QOL assessment (WHOQOL- bref). The data have been double typed on Microsoft Excel®, and imported to SPSS, version 20.0, for analysis. Descriptive analyses of all quantitative variables were carried out. In order to verify possible associations among the variables, the Pearson correlation coefficient (r) was used for quantitative (bivariate) variables, the Spearman correlation coefficient for the ordinal qualitative variables, the Student s t-test for independent samples and, when necessary, the Mann-Whitney test, as a non-parametric alternative. Two multiple linear regressions were also carried out and had the environmental and the psychological of QOL domain as a conclusion and the predictor variables; sex, age, professional category, presence of occupational disease and the ECORT working conditions domain. Most participants were females (94.6%), aged between 25 and 35 (41.3%) and had a partner (51.1%). Regarding the professional profile, 90.2% had been in the field for 5 or more years; 93.5% affirmed they do not have occupational disease, 76.1% declared they had not skipped work or gotten leave of absence and 69.6% declared they had not had occupational accident in the past year. The most affected ECORT domain was working conditions, and the most negatively impacting items were the ones referring to employee welfare, noise and the absence of the functional progression policy. The WHOQOL- bref domain with the lowest score was the environmental (58.25 points). The nurses presented higher QOL scores when compared with the nurse technicians, for the physical and environmental domains. Men showed higher averages in all QOL domains, which was statistically significant for the environmental domain. The group with occupational disease presented the worst QOL in relation to the physical, psychological and environmental domains, when compared to the group without occupational disease. The conclusion after the results of the multiple linear regression was that, being a woman, presenting occupational disease and worse working conditions, impacted negatively in the QOL environmental domain; and, having worse working conditions and the presence of occupational disease impacted the QOL psychological domain.
Palavras-chave: Enfermagem
Qualidade de vida
Saúde do trabalhador
Nursing
Quality of life
Worker health
Área do CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
Idioma: por
País: BR
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Atenção à Saúde das Populações
Programa: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde
Citação: GONTIJO, Laís Marques. Quality of life assessment and the working context of the nursing staff from Family Health Strategy (FHS) in Uberaba-MG. 2012. 91 f. Dissertação (Mestrado em Atenção à Saúde das Populações) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Data do documento: 13-Dec-2012
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Lais M Gontijo.pdf958,17 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.