Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/106
Tipo: Dissertação
Título: Estresse ocupacional e qualidade de vida dos profissionais das Equipes de Saúde da Família
Autor: Côrtes, Renata Maciel 
Primeiro orientador: Simões, Ana Lúcia de Assis
Resumo: Estresse e qualidade de vida são assuntos muito abordados na atualidade, sendo o estresse apontado como uma grande interferência na qualidade de vida. Os profissionais das equipes de saúde da família estão inseridos em um modelo assistencial que requer o vínculo com a família e comunidade; com isso, ficam vulneráveis aos problemas e conflitos das mesmas. Esse estudo objetivou identificar o estresse ocupacional e a qualidade de vida dos profissionais das equipes de saúde da família. Trata-se de um estudo quantitativo realizado com 431 profissionais da área da saúde vinculados à ESF de Uberaba MG. Para a coleta de dados foi utilizado um questionário o sociodemográfico e profissional, a Escala de Estresse no Trabalho (EET) e o WHOQOL-BREF, no período de abril a julho de 2012. Na análise dos dados utilizou-se o programa SPSS versão 20. A população caracterizou-se por mulheres (87,90%), de 30 a 40 anos (28,30%), casados (43,40%), com ensino médio (60,70%), com apenas um vínculo empregatício (86,10%), processo seletivo como principal modalidade de entrada no serviço (91,00%), com um a cinco anos de trabalho na ESF (53,5%) e trabalhando há menos de um ano com o mesmo gerente (49,40%). Apresentaram nível de estresse ocupacional igual a 2,43, sendo as perspectivas de crescimento (3,29), divulgação de informações organizacionais (3,00) e a deficiência de capacitações e treinamentos (2,92), os principais fatores estressores encontrados. Não houve associação do estresse ocupacional com as variáveis sociodemográficas e profissionais. Já o fator estressor deficiência de comunicação das decisões organizacionais apresentou diferença significativa (p = 0,012) entre os profissionais com ensino superior (3,23) e sem ensino superior (2,92). O fator estressor deficiência de capacitação e treinamentos Apresentou associação significativa quando comparado ACS (2,68) e médicos (3,39) (p = 0,016), e ACS (2,68) e dentistas (3,58) (p < 0,001). Na avaliação da qualidade de vida observou-se maior escore no domínio social (75,00), e menor no domínio ambiental (56,25). O domínio ambiental apresentou diferença significativa quando comparado com as variáveis: sexo (p = 0,047), forma de entrada no serviço (p = 0,042) e função (p < 0,001). Em relação à categoria profissional, a diferença está entre os enfermeiros e, ACS (p < 0,001), ACD (p = 0,008) e técnicos de enfermagem (p = 0,01). Considerando os profissionais com e sem curso superior, houve diferença significativa quando comparados com os domínios ambiental (p < 0,001) e social (= 0,036). Houve correlação negativa fraca entre a idade e o domínio social (p = 0,01; r = -0,13). Na associação entre o estresse ocupacional e os domínios de qualidade de vida houve significância moderada para os domínios físico (p < 0,001; r = -0,38), psicológico (p < 0,001; r = -0,36) e ambiental (p < 0,001; r = -0,42), e fraca para o domínio social (p < 00,001; r = -0,24). Na análise de regressão linear os resultados corroboraram com os achados anteriormente. Observou-se que as condições ambientais são os aspectos mais afetados na vida dos profissionais. O estresse ocupacional mostrou-se como um fator importante na interferência da qualidade de vida. O investimento em locais de trabalho mais seguros e agradáveis, assim como vínculos mais estáveis, incentivo as capacitações, promoverá a valorização dos profissionais e a humanização das relações.
Palavras-chave: Qualidade de vida
Esgotamento profissional
Saúde da família
Saúde do trabalhador
Recursos humanos em Saúde
Área do CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM::ENFERMAGEM DE SAUDE PUBLICA
Idioma: por
País: BR
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Atenção à Saúde das Populações
Programa: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde
Citação: CÔRTES, Renata Maciel. Estresse ocupacional e qualidade de vida dos profissionais das Equipes de Saúde da Família. 2012. 95 f. Dissertação (Mestrado em Atenção à Saúde das Populações) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Data do documento: 17-Dec-2012
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Renata M Cortes.pdf1,18 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.