Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/112
Tipo: Dissertação
Título: Hábitos alimentares e níveis plasmáticos de vitaminas antioxidantes em crianças e adolescentes obesos com e sem doença hepática gordurosa não alcoólica
Título(s) alternativo(s): Dietary habits and plasma levels of antioxidant vitamins in obese children and adolescents with and without non-alcoholic fatty liver disease.
Autor: Ued, Fábio da Veiga 
Primeiro orientador: Weffort, Virgínia Resende Silva
Resumo: Introdução: O aumento das taxas de prevalência de obesidade na faixa etária pediátrica contribui para o surgimento de comorbidades associadas, tais como a doença hepática gordurosa não alcoólica. A DHGNA trata-se de uma doença potencialmente letal, capaz de progredir para esteato-hepatite e cirrose. O tratamento com vitaminas antioxidantes, objetivando a redução da peroxidação lipídica e progressão da doença, vem sendo amplamente investigado por pesquisadores e especialistas. Objetivo: Analisar o consumo alimentar e os níveis plasmáticos de vitaminas antioxidantes em crianças e adolescentes obesos com e sem DHGNA. Métodos: Trata-se de um estudo transversal observacional, composto por 37 crianças e adolescentes, divididos em dois grupos após o exame de ultrassonografia: Grupo de crianças obesas com esteatose e Grupo de crianças obesas sem esteatose. Resultados: Comparou-se entre os grupos o perfil lipídico, os níveis séricos de proteína C reativa, de transaminases e de vitaminas antioxidantes, bem como a ingestão dietética destas vitaminas. Além disso, para cada exame alterado, verificou-se o risco de esta alteração significar uma maior chance de desenvolver esteatose hepática. A presença da doença esteve associada ao aumento dos valores de IMC, circunferência abdominal, colesterol total, LDL-c, triglicerídeos, AST, ALT e PCR. Além disso, esteve associada à redução dos níveis séricos de HDL-c, betacaroteno, ácido ascórbico e alfa tocoferol. Os níveis séricos de ácido ascórbico apresentaram uma redução significativa no grupo com DHGNA, e a proteína C reativa esteve significativamente elevada no mesmo grupo. O grupo de obesos com esteatose também apresentou maior redução da ingestão de vitaminas antioxidantes. Ainda assim, as alterações dietéticas e dos exames bioquímicos não estiveram associadas a um risco significativo de desenvolvimento da DHGNA. Conclusão: Os hábitos alimentares de crianças obesas com esteatose evidenciam um baixo consumo de vitaminas antioxidantes. Além disso, níveis plasmáticos de betacaroteno, ácido ascórbico e alfa tocoferol também se encontram reduzidos neste grupo. Contudo, não é possível afirmar que estas alterações nos exames analisados sejam a causa do desenvolvimento da DHGNA, sendo necessários novos estudos para investigação.
Resumo: Introduction: The increasing prevalence of obesity in the pediatric age group contributes to the emergence of comorbidities, such as nonalcoholic fatty liver disease. NAFLD it is a potentially lethal disease, can progress to steatohepatitis and cirrhosis. Treatment with antioxidant vitamins, aiming at the reduction of lipid peroxidation and progression of the disease, has been widely investigated by researchers and specialists. Objective: To evaluate the dietary intake and plasma levels of antioxidant vitamins in obese children and adolescents with and without NAFLD. Methods: This was a cross sectional observational study composed of 37 children, divided into two groups after ultrasound: group of obese children with steatosis and group of obese children without steatosis. Results: Were compared between groups lipid profile, serum levels of C-reactive protein, transaminases and antioxidant vitamins, as well as dietary intake of these vitamins. In addition, for each abnormal test, it was found the risk of this change means a greater chance of developing hepatic steatosis. The presence of the disease was associated with increased BMI, waist circumference, total cholesterol, LDL-c, triglycerides, AST, ALT and CRP. Furthermore, was associated with reduced serum levels of HDL-c, beta-carotene, ascorbic acid and alpha tocopherol. Serum levels of ascorbic acid exhibited a significant decrease in the group with NAFLD and C-reactive protein was significantly higher in the group. The obese group with steatosis also showed greater reduction in intake of antioxidant vitamins. Still, dietary changes and biochemical tests were not associated with a significant risk of developing NAFLD. Conclusion: The dietary habits of obese children with fatty liver showed a low intake of antioxidant vitamins. Furthermore, plasma levels of beta-carotene, ascorbic acid and alpha-tocopherol are also reduced in this group. However, it is not possible to say that these changes analyzed in exams are the cause of the development of NAFLD, other studies are necessary to investigate.
Palavras-chave: Obesidade
Fígado gorduroso
Criança
Vitamina antioxidante
Obesity
Fatty liver
Children
Antioxidant vitamin
Área do CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
Idioma: por
País: BR
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Atenção à Saúde das Populações
Programa: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde
Citação: UED, Fábio da Veiga. Dietary habits and plasma levels of antioxidant vitamins in obese children and adolescents with and without non-alcoholic fatty liver disease.. 2014. 99 f. Dissertação (Mestrado em Atenção à Saúde das Populações) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2014.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Data do documento: 9-Jan-2014
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Fabio V Ued.pdf1,18 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.