Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/15
Tipo: Tese
Título: Análise morfológica dos órgãos de stress de autopsias perinatais.
Autor: Corrêa, Rosana Rosa Miranda 
Primeiro orientador: Castro, Eumenia Costa da Cunha
Resumo: Introdução: O objetivo deste estudo foi o de avaliar através de técnicas de imunohistoquímica e morfometria a morfologia dos órgãos que apresentavam descrição na literatura de lesões morfológicas relacionadas ao stress perinatal: supra-renal (SR), timo (TI), fígado (FI) e placenta (PL), em 3 diferentes tipos de causa de morte perinatal: Hipóxia/Anóxia Perinatal (HAP), Infecção Ascendente (IA) e Malformações Congênitas (MC). Material e Métodos: Analisamos 146 casos, 84 (51,2%) HAP, 34 (20,7%) IA e 30 (18,4%) MC. Foi utilizada a coloração pela hematoxilina-eosina para análise da vacuolização na supra-renal, quantificação da esteatose hepática e quantificação das áreas de eritropoiese extramedular no FI. Para análise da fibrose no FI foi utilizada a coloração pelo método do Picro-sírius. Para a marcação do número de macrófagos foi utilizado o anticorpo anti CD68 (DAKO) e para detecção da Triptofano-hidroxilase (Tryptophan Hydroxylase antibody Novus Biologicals®) e do Receptor 1A (Melatonin Receptor 1A antiody Novus Biologicals®). Resultados: Do total de autópsias avaliadas os casos com HAP e IA tiveram maior natimortalidade (p <0,001). A autólise foi observada em 70 (42,7%) casos, sendo mais freqüentes nos casos com HAP (p< 0,001). Das 95 SR avaliadas, o padrão discreto de vacuolização foi observado em 50 (52,6%) dos casos, 21 (22,1%) apresentaram o padrão moderado e 24 (25,3%) o acentuado. O grau de vacuolização foi maior nos casos com IA (p = 0,008). O conteúdo dos vacúolos era de natureza lipídica comprovado pela coloração do Sudam III positiva. No timo o número de macrófagos foi significativamente maior nos casos com HAP (p< 0,001). Não houve diferença em relação à freqüência de esteatose entre os grupos de causa de morte. Houve correlação positiva e significativa entre o grau de esteatose e a idade gestacional (Sr: 0,359, p= 0,002). No fígado os casos com HAP e IA apresentaram maior porcentagem de fibrose hepática. Os focos de eritropoiese variaram de acordo com a idade gestacional sendo mais freqüente nos prematuros independente da causa de morte (p= 0,012). A marcação para anti-triptofano-hidroxilase demonstrou padrão citoplasmático no trofoblasto e nas células inflamatórias do espaço interviloso e para anti-receptor 1A de melatonina demonstrou a marcação destas mesmas estruturas e da célula endotelial. A porcentagem de área de células positivas por campo para expressão de triptofano-hidroxilase e receptor 1A para melatonina foi significativamente maior nos casos com stress intra-uterino (p=0,012). Conclusões: A análise dos diferentes parâmetros antropométricos contribuiu para melhorar a interpretação dos achados da autópsia perinatal. Com a melhora da assistência perinatal e a sobrevivência dos prematuros expostos a estímulos como HAP e IA, a descrição das lesões morfológicas dos órgãos de stress nestes fetos pode ajudar nos futuros estudos relacionados aos fetos expostos ao stress intra-uterino, e na prevenção das doenças na infância relacionadas à hiper reatividade da supra-renal a estímulos hormonais; imunodepressão do timo, fibrose hepática e lesões causadas pela produção de radicais livres.
Resumo: Introduction: The aim of this study was evaluated through immunohistochemical and morphometrical techniques the morphology of the organs that had been previously described in the literature as stress organs, with morphological injuries due to perinatal stress: adrenal gland (AG), thymus (TY), liver (LI) and placenta (PL), in 3 different types of perinatal death: Perinatal Hypoxia/Anoxia (PHA), Ascending Infection (AI)) and Congenital Malformations (CM). Material and Methods: We analyzed 146 cases, 84 (51,2 %) PHA, 34 (20,7 %) AI and 30 (18,4 %) CM. The hematoxylin-eosin stain was used to the analysis of the adrenal gland vacuolization; hepatic steatosis and extramedullary erythropoiesis quantification in the LI. For the LI fibrosis the Picro Sirius staining was used. For the immunohistochemical analyses we used the antibodies CD68 (DAKO®), Anti-Tryptophan Hydroxylase antibody-Novus Biologicals®) and Anti- Melatonin Receptor 1A antibody Novus Biologicals®. Results: From the total evaluated autopsies the cases with PAH and AI had the bigger rate of stillborns babies (p <0,001). The autolysis was observed in 70 (42,7 %) cases, being more frequent in the cases with PAH (p <0,001). Of the 95 evaluated AG, the discreet standard of vacuolization was observed in 50 (52.6 %) of the cases, 21 (22.1 %) presented the moderate standard and 24 (25.3 %) the severe. The degree of vacuolization was higher in the cases with AI (p = 0.008). The material was of lipid nature as proved by the positive coloration for Sudam III. In the thymus the number of macrophages was significantly higher in the cases with PAH (p <0.001). There was no difference regarding the frequency of steatosis between the groups of cause of death. There was a positive and significant correlation between the degree of steatosis and the gestational age (Sr: 0.359, p = 0.002). In the liver the cases with PAH and AI presented the bigger percentage of hepatic fibrosis. The focuses of erythropoiesis varied in accordance with the gestational age, being more frequent in the premature independently of the cause of death (p = 0,012). The Anti-tryptophan-hydroxylase marker demonstrated cytoplasmic stain in the trophoblast and in the inflammatory cells of the intervillous space and for Anti- Melatonin Receptor 1A antibody the same structures were marked plus endothelial cell cytoplasm. The percentage of area of positive cells expression per field for the Anti-tryptophan-hydroxylase and Anti- Melatonin Receptor 1A was significantly higher in the cases with intrauterine stress (p=0,012). Conclusions: The analysis of the different anthropometrics parameters contributed to improve the interpretation of the perinatal autopsy findings. With the improvement of the perinatal care and the survival of the premature which had been exposed to intrauterine stimulus like PAH and AI, the description of the morphological injuries of the stress organs will help in future autopsy studies, and in the prevention of the diseases in the childhood such as hiper reactivity of the adrenal gland to hormones stimuli; thymus immunodepletion, hepatic fibrosis and injuries caused by the free radicals production.
Palavras-chave: Autópsia
Perinatal
Stress
Melatonina
Autopsy
Perinatal
Stress
Melatonin
Área do CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::ANATOMIA PATOLOGICA E PATOLOGIA CLINICA
Idioma: por
País: BR
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Patologia Geral
Programa: Programa de Pós-Graduação em Patologia
Citação: CORRÊA, Rosana Rosa Miranda. Análise morfológica dos órgãos de stress de autopsias perinatais.. 2007. 112 f. Tese (Doutorado em Patologia Geral) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2007.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Data do documento: 26-Mar-2007
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Patologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TeseRosana_Doutorado2007.pdf1,14 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.