Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/153
Tipo: Dissertação
Título: Autoestima e qualidade de vida de mulheres submetidas à cirurgia oncológica de mama há pelo menos um ano.
Título(s) alternativo(s): Self-esteem and quality of life of women undergoing breast cancer surgery at least one year ago
Autor: Gomes, Nathália Silva 
Primeiro orientador: Silva, Sueli Riul da
Resumo: Introdução: atualmente, no Brasil, o câncer (CA) de mama é um problema de saúde pública, por constituir-se a neoplasia mais comum no sexo feminino, à exceção do CA de pele não melanoma. A confirmação diagnóstica provoca na mulher uma nova identidade, pois a mama é considerada símbolo da beleza corporal, da fertilidade, da feminilidade e da saúde em todas as etapas da vida. Quando há ameaça de perda deste órgão, a mulher, independente de sua faixa etária, sente que sua identidade feminina está sendo questionada, bem como sua capacidade para a amamentação e sensualidade. Provoca, desta maneira, alterações emocionais como nervosismo, irritação, incerteza e conflitos, além de mudanças no autoconceito e na imagem corporal. Objetivo: analisar a autoestima e a qualidade de vida de mulheres submetidas à cirurgia oncológica de mama, em um hospital de clínicas, há pelo menos um ano. Metodologia: estudo observacional transversal com abordagem quantitativa. Para a coleta de dados, utilizaram-se três instrumentos: o primeiro contendo questões relativas aos dados sociodemográficos e clínicos; posteriormente, para avaliação da autoestima (AE), foi aplicada a Escala de Rosenberg e, em seguida, para avaliação da qualidade de vida (QV), a versão abreviada em português do instrumento de Avaliação de Qualidade de Vida da Organização Mundial de Saúde, o WHOQOL-bref. Resultados: participaram do estudo 37 mulheres, destas, a maior parte tinha entre 41 e 50 anos; era casada; católica; com baixa escolaridade; dentre as que trabalhavam, a maioria não havia retornado ao trabalho e a renda familiar era, em média, R$ 1.646,49. Quanto aos aspectos clínicos, a maior parte realizou cirurgia conservadora do lado esquerdo (tempo médio de realização desta 31,7 meses) e fizeram tratamentos complementares, principalmente a hormonioterapia. Com relação à AE, a média foi de 30,32, equivalente a autoestima média, e alfa de Cronbach de 0,77. Observou-se correlação moderada e positiva entre a AE e a escolaridade. Em relação à qualidade de vida, o domínio mais afetado foi o ambiental, seguido pelos domínios físico, psicológico e social. Quando analisada a relação da QV com as variáveis sociodemográficas e clínicas, identificou-se correlação somente entre o domínio social e a renda familiar e entre o domínio ambiental e a idade (ambos os casos com correlação positiva e moderada). Além disto, constatou-se uma correlação moderada entre a AE e o domínio ambiental e correlação forte entre a AE e os domínios físico e psicológico. Conclusão: apesar de decorrido de um a três anos do procedimento cirúrgico, as mulheres ainda demonstram sentimentos de menos valia em relação a si próprias (AE média) e limitações físicas e financeiras, principalmente, que impactam em sua QV (confirmado pela média de QV nos domínios: 58,8 pontos). Embora haja particularidades entre elas, há certas características em comum que permitem a atuação do profissional de saúde de forma precoce e preventiva, visando diminuir as repercussões do CA na vida da mulher.
Resumo: Introduction: currently, in Brazil, breast cancer is a public health problem. It represents the most common neoplasm in females, except for non-melanoma skin cancer. Diagnostic confirmation causes in women, a new identity, because the breast is considered a symbol of bodily beauty, fertility, femininity and health, in all stages of life. When there is a threat of losing this organ, women, regardless of their age, feel like their identity is being questioned, as well as their ability to breastfeed and their sensuality. It causes, thus, emotional changes such as nervousness, irritation, uncertainty and conflict, besides the modifications in self-concept and body image. Objective: to examine self-esteem and quality of life of women who were submitted to breast cancer surgery, at least one year ago, in a hospital. Methodology: cross-sectional observational study with quantitative approach. For data collection, three instruments were used: the first containing questions about sociodemographic and clinical data, posteriorly, the Rosenberg scale was applied to assess self-esteem, and then, to evaluate the quality of life, the Portuguese abbreviated version of the instrument Assessment of Quality of Life of the World Health Organization, the WHOQOL-bref was used. Results: 37 women participated in the study, most aged between 41 and 50 years, were married, catholic, and had low education; among workers, most had not returned to work yet, and family income was, an average, of R$ 1,646.49 per month. Regarding clinical aspects, most were submitted to conservative surgery performed on the left side (the average time length since the procedure was done was 31.7 months) and received complementary treatments, mainly the hormone therapy. Concerning self-esteem, the average was 30.32, equivalent to an average self-esteem, and Cronbach's alpha of 0.77. There was moderate and positive correlation between self-esteem and education level. In relation to the quality of life, the most affected domain was the environment, followed by physical, psychological and social domains. When the relation between quality of life, sociodemographic and clinical variables is analyzed, it was only identified a correlation between the social domain and family income and between environmental domain and age (both cases with moderate positive correlations). In addition, there was a moderate correlation between the self-esteem and the environmental domain and strong correlation between the self-esteem and the physical and psychological domains. A statistically significant relationship between the social domain and family income was observed, as well as between the environmental domain and age. In addition, there was a strong correlation between self-esteem and the physical and psychological domains. Conclusion: despite the lapse from one to three years since surgery, women still show feelings of worthlessnes (self-esteem average) and have financial and physical limitations, mainly, that impact on their quality of life (confirmed by the average quality of life in the domains: 58.8 points). Although there are peculiarities among them, there are certain common characteristics that allow the performance of the health professional in a precocious and preventive way, aiming to reduce the impact of cancer in women's lives.
Palavras-chave: Auto-Imagem
Saúde da Mulher
Qualidade de Vida
Enfermagem
Self concept
Women&#8223
s health
Quality of life
Nursing
Área do CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
Idioma: por
País: BR
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Atenção à Saúde das Populações
Programa: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde
Citação: GOMES, Nathália Silva. Self-esteem and quality of life of women undergoing breast cancer surgery at least one year ago. 2011. 82 f. Dissertação (Mestrado em Atenção à Saúde das Populações) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Data do documento: 7-Dec-2011
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Nathalia Silva Gomes.pdf2,05 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.