Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/156
Tipo: Dissertação
Título: Prevalência de fatores associados ao indicativo de depressão em idosos residentes na zona rural.
Autor: Ferreira, Pollyana Cristina dos Santos 
Primeiro orientador: Tavares, Darlene Mara dos Santos
Resumo: Durante o processo de envelhecimento os idosos passam por transformações físicas, sociais e psicológicas, o que pode favorecer um desequilíbrio psicológico, destacando-se, nesta faixa etária, a depressão. Nesse contexto, torna-se relevante a realização de pesquisas que envolvam a temática da depressão entre idosos residentes na zona rural. Esta pesquisa objetivou verificar a prevalência de indicativo de depressão, segundo sexo e faixa etária; descrever o perfil sociodemográfico e econômico, as morbidades autorreferidas e a capacidade funcional dos idosos com e sem indicativo de depressão; comparar os idosos com e sem indicativo de depressão quanto ao perfil sociodemográfico, econômico, número de morbidades autorreferidas e de incapacidade funcional; verificar os fatores associados com o indicativo de depressão. Trata-se de um estudo analítico, transversal e observacional, realizado com 850 idosos residentes na zona rural do município de Uberaba-MG. Utilizaram-se os instrumentos: semi-estruturado com base no questionário OARS, Mini Exame do Estado Mental, Índex de Katz, Escala de Lawton e Brody e Escala de Depressão Geriátrica Abreviada. De acordo com a classificação da Escala de Depressão Geriátrica Abreviada, formaram-se dois grupos: idosos com indicativo de depressão e idosos que não apresentaram o referido indicativo. Calculou-se a taxa de prevalência. Os dados foram analisados segundo estatística descritiva e aplicaram-se os testes qui-quadrado e t-Student, por meio do programa SPSS, versão 17.0. Para a inclusão no modelo de regressão logística considerou-se p<0,10 e as associações foram significativas quando p<0,05. Este projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa com Seres Humanos da UFTM, protocolo Nº 1477. A prevalência de indicativo de depressão correspondeu a 22,0%. No grupo com indicativo de depressão predominaram as mulheres, 60&#9500;70 anos, casados ou que moravam com companheiro, renda individual de um salário mínimo e 4&#9500;9 anos de estudo. Destacaram-se as morbidades: problemas de coluna, problemas de visão, hipertensão arterial e problemas para dormir. O maior percentual de idosos apresentou sete ou mais comorbidades. Entre aqueles que não apresentaram indicativo de depressão, os maiores percentuais foram para o sexo masculino, 60&#9500;70 anos, casados ou que moravam com companheiro, renda individual de um salário mínimo e 4&#9500;9 anos de estudo. As principais morbidades referidas foram problema de visão, problemas de coluna, hipertensão arterial e problemas para dormir. Predominaram os idosos com 1&#9500;4 morbidades associadas. Houve maior percentual de idosos com indicativo de depressão que tinham 1&#9500;4 incapacidades para o desempenho de AIVDs, em relação aos que não apresentaram o referido indicativo. Verificou-se entre os idosos com indicativo de depressão maior proporção de mulheres, na faixa etária de 80 anos ou mais, viúvos, sem escolaridade, que apresentavam sete ou mais comorbidades e com maior dependência para a realização das AIVDs, quando comparados aos idosos sem indicativo de depressão. Esta pesquisa evidenciou que ser do sexo feminino, ter maior número de comorbidades e de incapacidade funcional para o desempenho de AIVDs permaneceram como preditoras do indicativo de depressão. Os resultados obtidos nesta pesquisa poderão subsidiar a implementação de estratégias voltadas à saúde dos idosos residentes na zona rural, com enfoque para a depressão.
Resumo: During the aging process the elderly go through physical, social and psychological, with may favor a psychological imbalance, especially in this age group, depression. In this context, it becomes relevant to the conduct of research involving the issue of depression among elderly residents in rural areas. This study aimed to determine the prevalence rates of depression, by sex and age, to describe the sociodemographic and economic self-reported morbidities and functional capacity of elderly patients with and without indication of depression, to compare the elderly with and without depression as indicative of the sociodemographic, economic, number of self-reported morbidity and disability; identify factors associated with the indication of depression. It is an analytical, cross-sectional observational study conducted with 850 elderly residents in the rural municipality of Uberaba, MG. Instruments were used: semi-structured questionnaire based on the OARS, Mini Mental State Examination, the Katz Index, Lawton and Brody Scale and the Geriatric Depression Scale Short. According to the classification of the Geriatric Depression Scale Short, formed two groups: the elderly with indications of depression and the elderly who did not have that indicator. We calculated the prevalence rate. Data were analyzed using descriptive statistics and applied to the chi-square and t-test by using SPSS, version 17.0. For inclusion in the logistic regression model was considered p<0.10 and the associations were significant when p<0.05. This project was approved by the Ethics and Human Research of UFTM, Protocol No. 1477. The prevalence of depression indicative corresponded to 22.0%. In the group with depression indicative of a predominance of women, 60&#9500;70 years, married or living with a partner, an individual income of minimum wage and 4&#9500; 9 years of study. The highlights were the morbidities: back problems, vision problems, hypertension and sleep problems. The highest percentage of elderly had seven or more comorbidities. Among those who showed no sign of depression, the highest percentages were for males, 60&#9500; 70 years, married or living with a partner, an individual income of minimum wage and 4&#9500;9 years of study. Major morbidities were vision problems, back problems, hypertension and sleep problems. Predominated the elderly with 1&#9500;4 associated morbidities. There was a higher percentage of older adults with depression that were indicative of 1&#9500;4 disabilities to perform IADLs, compared to those without such information. It was found among the elderly with depression indicative of a higher proportion of women aged 80 or older, widowed, uneducated, who have seven or more comorbidities and greater dependency on the performance of IADL, compared to the elderly without indicative of depression. This research showed that being female, having higher number of comorbidities and functional disability for the performance of IADL remained tense as predictors of depression. The results of this research may support the implementation of strategies for the health of the elderly residents of rural areas, focusing on depression.
Palavras-chave: Depressão
População rural
Idoso
Enfermagem geriátrica
Depression
Rural population
Elderly
Geriatric nursing
Área do CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM::ENFERMAGEM DE SAUDE PUBLICA
Idioma: por
País: BR
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Atenção à Saúde das Populações
Programa: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde
Citação: FERREIRA, Pollyana Cristina dos Santos. Prevalência de fatores associados ao indicativo de depressão em idosos residentes na zona rural.. 2011. 104 f. Dissertação (Mestrado em Atenção à Saúde das Populações) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2011.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Data do documento: 7-Dec-2011
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
POLLYANA Dissert.pdf1,04 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.