Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/158
Tipo: Dissertação
Título: ANÁLISE DA OCORRÊNCIA DE INFECÇÕES HOSPITALARES EM PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA CARDÍACA
Autor: Andrade, Érica Vieira de 
Primeiro orientador: Barbosa, Maria Helena
Resumo: As infecções hospitalares constituem um problema de saúde pública mundial e sua ocorrência após cirurgias cardíacas representa uma grave complicação que sempre ocasiona consequências maléficas. Esta pesquisa teve como objetivo analisar a ocorrência de infecções hospitalares em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca em um hospital de ensino, de Minas Gerais, no período de julho de 2005 a julho de 2010. Trata-se de um estudo retrospectivo, longitudinal, com abordagem quantitativa, realizado com 460 pacientes. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFTM sob parecer nº 1611. Os dados foram coletados das fichas de notificação de infecção hospitalar e dos prontuários dos pacientes, utilizando-se um instrumento constituído por dados sociodemográficos, clínicos e referentes ao perioperatório. Para a análise dos dados utilizou-se o software SPSS. As variáveis qualitativas foram analisadas segundo estatística descritiva e para as quantitativas foram utilizadas medidas descritivas de centralidade e dispersão. Para identificar os fatores de risco associados à infecção hospitalar e para verificar a relação entre infecção e ocorrência de óbito realizou-se análise bivariada e posteriormente, análise multivariada por regressão logística (α=0,05). Para verificar a relação entre ocorrência de infecção e tempo de permanência pós-operatória utilizou-se o teste t-Student (α=0,05). A incidência de pacientes com infecção hospitalar foi de 24,3% e os sítios infecciosos identificados, na população estudada, foram trato respiratório, sítio cirúrgico, trato urinário, corrente sanguínea, cutânea em úlceras por pressão, peritonite, endocardite e otite. A infecção do trato respiratório apresentou maior incidência (20,6%) quando comparada aos outros sítios. Dos pacientes com infecção do trato respiratório o microrganismo mais frequente (42,8%) foi Pseudomonas aeruginosa. Dos pacientes com infecção do sítio cirúrgico, Staphylococcus aureus foi o microrganismo prevalente (40,0%). Klebsiella pneumoniae foi o patógeno mais frequente nos pacientes com infecção do trato urinário (50,0%) e de corrente sanguínea (66,7%). Dos pacientes com infecção em úlceras por pressão, foram isoladas Enterobacter cloacae (50,0%), Klebsiella pneumoniae (50,0%), Morganella morganii (50,0%) e Escherichia coli (50,0%). Dos antibióticos utilizados no pós-operatório, a cefepima foi usada pela maioria (79,0%) dos pacientes. Verificou-se que tempo de intubação (p=0,005), tempo de permanência do cateter venoso central (p<0,001) e tempo de permanência da sonda vesical de demora (p<0,001) foram os preditores independentes para infecção hospitalar pós-operatória na população estudada. A ocorrência de infecção hospitalar (p<0,001) e de complicações pós-operatórias (p=0,001) foram os preditores independentes para a ocorrência de óbito após cirurgias cardíacas. A incidência de óbito entre os pacientes que desenvolveram infecção hospitalar foi de 32,1% e entre os pacientes sem infecção foi de 4,6%. O tempo médio de permanência hospitalar pós-operatória foi significativamente (p<0,001) maior para os pacientes com infecção hospitalar (23,5 dias) do que para os pacientes que não desenvolveram infecção (8,2 dias). Espera-se que esta pesquisa possa contribuir na elaboração e implementação de protocolos de prevenção e controle das infecções hospitalares, além de subsidiar o desenvolvimento de outros estudos relacionados a esta temática.
Resumo: Hospital infections are a worldwide public health problem and its occurrence after cardiac surgery represents a serious complication that always leads to evil consequences. This research aimed to analyze the occurrence of nosocomial infections in patients undergoing cardiac surgery in a teaching hospital in Minas Gerais in the period from July 2005 to July 2010. It is a retrospective, longitudinal study with a quantitative approach, conducted with 460 patients. This study was approved by the Ethics Committee in Research of UFTM in opinion No. 1611. Data were collected from reporting of hospital infection and patients' records, using an instrument consisting of demographic data, clinical and related to the perioperative period. For data analysis we used SPSS software. Qualitative variables were analyzed using descriptive statistics and were used for the quantitative descriptive measures of centrality and dispersion. To identify risk factors associated with nosocomial infection and to investigate the relationship between infection and occurrence of death was performed bivariate analysis and then multivariate logistic regression analysis (α=0.05). To investigate the relationship between the occurrence of infection and length of stay postoperative used the Student t test (α=0.05). The incidence of patients with hospital infection was 24.3% and infectious sites identified in the study population were respiratory tract, surgical site, urinary tract, bloodstream, pressure ulcers, peritonitis, endocarditis and otitis. The respiratory tract infection had a higher incidence (20.6%) when compared to other sites. Of the patients with respiratory tract infection the most common microorganism (42.8%) was Pseudomonas aeruginosa. Of the patients with surgical site infection, Staphylococcus aureus was the prevalent microorganism (40.0%). Klebsiella pneumoniae was the most frequent pathogen in patients with urinary tract infection (50.0%) and bloodstream (66.7%). Of infection in patients with pressure ulcers, were isolated Enterobacter cloacae (50.0%), Klebsiella pneumoniae (50.0%), Morganella morganii (50.0%) and Escherichia coli (50.0%). Of the antibiotics used postoperatively, cefepime was used by the majority (79.0%) of the patients. It was found that intubation time (p=0.005), duration of central venous catheter (p<0.001) and length of stay of indwelling urinary catheter (p<0.001) were independent predictors of postoperative hospital infection in this population. The occurrence of nosocomial infection (p<0.001) and postoperative complications (p=0.001) were independent predictors for the occurrence of death after heart surgery. The death rate among patients who developed hospital infection was 32.1% and among patients without infection was 4.6%. The mean postoperative hospital stay was significantly (p<0.001) higher for patients with nosocomial infection (23.5 days) than for patients without infection (8.2 days). It is hoped that this research will contribute in developing and implementing protocols for the prevention and control of nosocomial infections, in addition to supporting the development of other studies related to this subject.
Palavras-chave: Infecção hospitalar
Procedimentos cirúrgicos cardíacos
Cross infection
Cardiac surgical procedures.
Área do CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ENFERMAGEM
Idioma: por
País: BR
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Atenção à Saúde das Populações
Programa: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde
Citação: ANDRADE, érica Vieira de. ANÁLISE DA OCORRÊNCIA DE INFECÇÕES HOSPITALARES EM PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA CARDÍACA. 2012. 119 f. Dissertação (Mestrado em Atenção à Saúde das Populações) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Data do documento: 15-Dec-2012
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Erica Mestr At Sau.pdf1,32 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.