Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/195
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSOUZA, Andrezza Papini Alkmim-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/2410784558092775por
dc.contributor.advisor1NISTA-PICCOLO, Vilma Lení-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7144740286058457por
dc.date.accessioned2015-12-15T16:02:23Z-
dc.date.issued2014-02-19-
dc.identifier.citationSOUZA, Andrezza Papini Alkmim. Um olhar para a inteligência corporal cinestésica expressa em aulas de educação física escolar. 2014. 116f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2014.por
dc.description.resumoO objetivo deste estudo foi observar, descrever e interpretar como acontecem, na atuação pedagógica dos professores, as possíveis estimulações dos potenciais dos alunos durante as aulas de Educação Física nas escolas de educação básica de Uberaba/MG. Buscamos desvelar como ocorrem as aulas de Educação Física; compreender as situações de ensino-aprendizagem na prática pedagógica do professor; identificar as estratégias de ensino e os conteúdos desenvolvidos em suas aulas e, analisar o conhecimento do professor acerca da Teoria das Inteligências Múltiplas. Esta Teoria baliza nossos estudos, pois acreditamos que é da responsabilidade do professor de Educação Física identificar os potenciais, principalmente os corporais, dos seus alunos, desenvolver as possibilidades de criar situações diferenciadas, as quais consigam levar seus alunos à compreensão do que ensina. Para isso optamos por uma abordagem qualitativa do tipo descritiva, que, de acordo com os instrumentos escolhidos, fosse possível perceber diferentes perspectivas da atuação docente. Como instrumento de coleta de informações utilizamos um questionário a fim de caracterizar nossos sujeitos; utilizamos ainda uma entrevista semiestruturada, permitindo que os sujeitos expressassem livremente seus conceitos. Além disso, optamos pela observação das aulas como técnica metodológica, o que nos permitiu mergulhar no universo dos sujeitos, no local em que se dá a atuação deles e onde seria possível identificar sem a priori e preconceitos, conhecer suas estratégias de ensino, os conteúdos ministrados e a relação estabelecida entre professor e aluno. Após a coleta das informações, analisamos sob o método proposto por Laville e Dione (1999), interpretando os dados e buscando apontar diretrizes para reais propostas de atividades pautadas na Teoria das Inteligências Múltiplas. Os sujeitos da pesquisa foram 10 professores do total de 5 escolas municipais e 4 escolas privadas. O ano escolar escolhido foi o 5º ano, escolha esta que se deu pelo período maturacional que se encontram esses indivíduos, pois é nesse momento em que eles começam a combinar e a refinar suas habilidades motoras fundamentais, de maneira mais complexa, sendo um excelente momento para a descoberta de infinitas execuções motoras. Após a coleta das informações e a análise dos dados, propusemo-nos a cruzar os dados para melhor interpretar os questionamentos que geraram este estudo. Percebemos que os professores repetem muitas práticas já vivenciadas no cotidiano dos alunos, não proporcionando diferentes situações em suas aulas. Embora a Teoria das Inteligências Múltiplas já tenha completado 30 anos de lançamento acadêmico, verificamos que muitos professores ainda não a conhecem, e aqueles que declaram conhecê-la não demonstram compreensão de seus princípios básicos. Com a observação das aulas somadas à realização das entrevistas, percebemos que existem apontamentos expressos no discurso dos professores que ainda não se concretizam em suas práticas em aulas. Portanto, acreditamos que é preciso refletir se o professor tem uma postura transformadora, se possibilita oportunidades variadas de aprendizagem, se auxilia a busca pelo conhecimento, e se se preocupa com a formação integral e o desenvolvimento pessoal de cada um de seus educandos.por
dc.description.abstractThe subject of this study was to observe, describe and interpret as they happen, in the teachers' pedagogical practice, the possible stimulations of potentials of students during Physical Education classes in schools for basic education of Uberaba/MG. We try to reveal how occur Physical Education classes; understand the situations of teaching-learning in the pedagogical practice of professor; identify teaching strategies and content developed in their classes, and analyze the knowledge of professor about the Theory of Multiple Intelligences. This Theory based our studies, because we believe that it is the responsibility of the Physical Education teacher identify potential, especially the body, of its students, develop the endless possibilities to create differentiated situations, which will be able to lead their students to the understanding of what he teaches. For this reason we choose for a qualitative approach of descriptive type, which, in accordance with the instruments chosen, it was possible to perceive different perspectives of teaching practice. As instrument of collection of information we used a questionnaire in order to characterize our subjects; we still have a semi-structured interview, allowing subjects to freely express their concepts and its principles. In addition, we have opted for observation of classes such as methodological technique, which allowed us immerse in the world of the subjects, at the place where actuating them and where it would be possible to identify without a priori and prejudices, know their teaching strategies, the content taught and the relationship established between teacher and student. After the collection of information, we analyzed under the method proposed by Laville and Dione (1999), interpreting the data and trying to point guidelines for actual proposals of activities centered on the Theory of Multiple Intelligences. The research subjects were 10 teachers from a total of 5 public schools and 4 private schools. The school year chosen was the 5th year, choice is that if gave by maturational period who are these individuals, because it is at this moment in which they begin to combine and refine their motor skills, fundamental way more complex, being an excellent time for the discovery of infinite motor executions. After the collection of information and the analysis of the data, we propose to cross the data to better interpret the questions that generated this study. We noticed that the teachers are repeated many practices already experienced in the daily life of students, not providing different situations in their classes. Although the Theory of Multiple Intelligences has already completed 30 years of launching academic, we noticed that many teachers still do not know him, and those who declare knows it does not demonstrate understanding of its basic principles. With the observation of classes added to the realization of the interviews, we realized that there are accents expressed in the speech of teachers who have not yet materialized in their practices in classrooms. Therefore, we believe that it is necessary to reflect if the teacher has a posture transforming, if enables varied opportunities for learning, if assists the quest for knowledge, and if they’re concerned with the integral formation and the personal development of each one of their students.por
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttp://bdtd.uftm.edu.br/retrieve/707/Dissert%20Andrezza%20PA%20Souza.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal do Triângulo Mineiropor
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências da Saúde - ICS::Curso de Graduação em Educação Físicapor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFTMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educação Físicapor
dc.relation.referencesALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O Método nas Ciências Naturais e Sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 2001. ARROYO, M.G. Trabalho-educação e teoria pedagógica. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. BETTI, M. Educação física como prática científica e prática pedagógica: reflexões à luz da filosofia da ciência . Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, [S.l.], v. 19, n. 3, p. 183-197, set. 2005. ISSN 1981-4690. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/rbefe/article/view/16594/18307>. BRACHT, V. Educação física & ciência: cenas de um casamento (in)feliz. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 22, n. 1, p. 53-63, set. 2000. ISSN 2179-3255. Disponível em: <http://rbceonline.org.br/revista/index.php/RBCE/article/view/753/427>. BRANDL, C.E.H. A estimulação da inteligência corporal cinestésica no contexto da educação física escolar. 2005. 194f. Tese (Doutorado em Educação Física)– Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005. CAETANO, M. J. D.; SILVEIRA, C. R. A.; GOBBI, L. T. B. Desenvolvimento motor de pré-escolares no intervalo de 13 meses. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho humano. Universidade Federal de Santa Catarina. v. 7, n. 2, p. 5-13, 2005. CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 4. ed. São Paulo: Makron Books, 1996. CHEUNG, K. Uma década de ensino da teoria das inteligências múltiplas com base em escolas: experimentos em Macau. In: GARDNER, H. et al. Inteligências múltiplas ao redor do mundo. Tradução Roberto Cataldo Costa, Ronaldo Caraldo Costa, revisão técnica Rogério de Castro Oliveira. Porto Alegre: Artmed, 2010. COSTA, L. P. Uma questão ainda sem resposta: o que é a Educação Física? Movimento (ESEF/UFRGS), [S.l.], v. 3, n. 4, 1996. ISSN 1982-8918. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2209/928 CSIKSZENTMIHALYI, M. A descoberta do fluxo. Rio de Janeiro: Rocco, 1999. DARIDO, S.C.; RANGEL, I.C.A. Educação Física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. DARIDO, S.C.; RANGEL-BETTI, I.C.; RAMOS, G.N.S.; GALVÃO, Z.; FERREIRA, L.A.; MOTA E SILVA, E.V. RODRIGUES, L.H.; SANCHES, L.; PONTES, G.; CUNHA, F.A. A educação física, a formação do cidadão e os Parâmetros Curriculares Nacionais. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v.15, n.1, p. 17-32, 2001. FELDMAN, D.H. Como o Spectrum começou. In: CHEN, J.Q. et al. Utilizando as competências da crianças. Porto Alegre, Ática, 2001. FERRAZ, O.L. Educação física na educação infantil e o Referencial Curricular Nacional: significado para os professores. 2000. 179 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de São Paulo, São Paulo, 2000. FONSECA, V. Aprender a aprender: a educabilidade cognitiva. Porto Alegre: Artmed, 1998. FREIRE, P. À sombra desta mangueira. 7. ed. São Paulo: Olho d'água, 2005. FREIRE, P. Educação e mudança. Petrópolis: Vozes, 1984. FREIRE, E.S.; OLIVEIRA, J. G. M. de. Educação Física no Ensino Fundamental: identificando o conhecimento de natureza conceitual, procedimental e atitudinal. Motriz, Rio Claro, v.10, n.3, p.140-151, set./dez. 2004. GALLAHUE, D.L.; OZMUN, J.C. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. São Paulo: Phorte, 2003. GALLARDO, Jorge P. (Coord.) Educação física: contribuições à formação profissional. 2. ed. Unijuí: Ijuí, 1997. GALVÃO, Z.; RODRIGUES, L. H.; SANCHEZ NETO, L. Cultura corporal do movimento. In: DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. (Org.) Educação física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara, 2005. Cap. 2, p. 25-36. GARDNER, H. A arte de mudar as mentes. Pátio: Revista pedagógica. Porto Alegre: v.1, n.38, p.20-22, maio/jul. 2006. GARDNER, H. Estruturas da mente: a teoria das inteligências múltiplas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994. GARDNER, H. Inteligência: múltiplas perspectivas. Porto Alegre, Artmed, 1998. GARDNER, H. Inteligência: um conceito reformulado. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000. GARDNER, H. Mentes que mudam: a arte e a ciência de mudar as nossas ideias e as dos outros. Porto Alegre: Artmed, 2005. GARDNER, H. O verdadeiro, o belo e o bom: os princípios básicos para uma nova educação. Rio de Janeiro: Objetiva Ltda, 1999. GARDNER, H. Reflections on multiple intelligences myths and messages. Phi Delta Kappan, 77, p. 200-203, 206-209, 1995. GARDNER, H. The theory of multiple intelligences: in a nutshell. In: LEVITIN, D. J. (Ed.), Foundations of Cognitive Psychology: core readings. Boston: Allyn & Bacon, 2011. GARDNER, H. et al. Inteligências múltiplas ao redor do mundo. Tradução Roberto Cataldo Costa, Ronaldo Caraldo Costa; revisão técnica Rogério de Castro Oliveira. Porto Alegre: Artmed, 2010. GAYA, A. Mas afinal, o que é Educação Física? Movimento (ESEF/UFRGS), [S.l.], v. 1, n. 1, p. 29-34, maio 1994. ISSN 1982-8918. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2012/15398> GIESTA, N. C. Cotidiano escolar e formação reflexiva do professor: moda ou valorização do saber docente? 2. ed. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2005. GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991. GIL, A, C. Métodos e técnicas em pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999. GOULD, S. J. A falsa medida do homem. São Paulo: Martins Fontes, 1991. KIM, M.; CHA, K. A integração da teoria das inteligências múltiplas à prática educacional na Coreia do Sul. In: GARDNER, H. et al. Inteligências múltiplas ao redor do mundo. Tradução Roberto Cataldo Costa, Ronaldo Caraldo Costa, revisão técnica Rogério de Castro Oliveira. Porto Alegre: Artmed, 2010. LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Tradução Heloísa Monteiro e Francisco Séttineri. Porto Alegre, Artes Médicas Sul Ltda, 1999. MACEDO, L. Ensaios pedagógicos: como construir uma escola para todos? Porto Alegre: Artmed, 2005. MARCONI, M. A.; LAKATOS, E.M. Fundamentos da metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003. MEIRIEU, P. Aprender...sim, mas como?. Tradução Vanize Dresch. 7. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998. MORAN, S. Por que inteligências múltiplas ? In: GARDNER, H. et al. Inteligências múltiplas ao redor do mundo. Tradução Roberto Cataldo Costa, Ronaldo Caraldo Costa, revisão técnica Rogério de Castro Oliveira. Porto Alegre: Artmed, 2010. MOREIRA, W.W. Educação física escolar: uma abordagem fenomenológica. Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1992. MOREIRA, E.; PEREIRA,R.S.; LOPES,T. Considerações, reflexões e proposições para a Educação Física na educação infantil e séries iniciais do ensino fundamental. In: MOREIRA, E.C.; NISTA-PICCOLO, V.L. (Org.). O quê e como ensinar Educação Física na escola. Jundiaí: Fontoura, 2009. NEIRA, M.G. Educação física: desenvolvendo competências. São Paulo, SP: Phorte, 2006. NISTA-PICCOLO, V.L. A Teoria das Inteligências Múltiplas, capítulo 2. In: BALBINI, H. (Org.). As Inteligências Múltiplas. Editora do Sesc. 2013, no prelo. NISTA-PICCOLO, V. L. Educação Física, Escola e as Inteligências Múltiplas. In: MOREIRA, W.W.; SIMÕES, R.; VIRTUOSO JÚNIOR, J.S.; BARBOSA NETO, O. (Org.). Educação Física, Esporte, Saúde e Educação. São Paulo: Editora, 2010. p. 50-80, v.1. NISTA-PICCOLO, V. L. Pedagogia dos Esportes. In: NISTA-PICCOLO, V. L. (Org.). Pedagogia dos esportes. Campinas: Papirus, 1999. NISTA-PICCOLO, V. L. et. al. Manifestações da inteligência corporal cinestésica em situação de jogo na educação física escolar. Revista Brasileira Ciência e Movimento, Brasília, v. 12, n. 4, p. 25-31, dez, 2004. NISTA-PICCOLO, V.L.; VECCHI, R.L. A Educação Física Escolar na perspectiva do ensino para a compreensão. In: POGRÉ, P.; LOMBARDI, G. e EQUIPE DO COLÉGIO SIDARTA (Org.). O Ensino para a compreensão – A importância da reflexão e da ação no processo de ensino-aprendizagem. Espírito Santo: Hoper, 2006. NISTA-PICCOLO, V.L.; MOREIRA, W.W. Corpo em movimento na educação infantil. São Paulo: Cortez, 2012a. NISTA-PICCOLO, V.L.; MOREIRA, W.W. Esporte como conhecimento e prática nos anos iniciais do ensino fundamental. São Paulo: Cortez, 2012b. NÓVOA, A. História da educação: percursos de uma disciplina. Análise Psicológica, Lisboa, n.4, 1996. PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999. PERRENOUD, P. et al. As competências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2002. POZO, J.I. Aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Tradução Ernani Rosa. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002. RANGEL, I. C. A.; SANCHES NETO, L.; DARIDO, S. C.; GASPARI, T. C.; GALVÃO, Z. O ensino reflexivo como perspectiva metodológica. In: DARIDO, S. C.; RANGEL I. C. A. (Org.). Educação física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara, 2005. Cap. 7, p. 103-136. RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2000. RUSSO, E.L. Os conteúdos e os métodos desenvolvidos nas aulas de educação física escolar. 2010. 150 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, 2010. SILVA, S.A.P.S. Pesquisa qualitativa em Educação Física. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v.10, n.1, p.87-98, 1996. SILVA, V. L. T. Tecendo tramas na aprendizagem: um estudo sobre crianças excluídas na escola. 2008. 150f. Dissertação (Mestrado) – Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, 2008. SOUZA, J. P. Formação do profissional de educação física: o caso da Unioeste. 2007. 284f. Dissertação (Mestrado) – Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, 2007. SOUZA, M.T. A Inteligência Corporal Cinestésica como manifestação de inteligência humana no comportamento de crianças. 2001. 189f. Tese (Doutorado em Educação física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2001. TAFFAREL, C. N. Z.; ESCOBAR, M. O. Mas, afinal, o que é Educação Física?: um exemplo do simplismo intelectual. Movimento (ESEF/UFRGS), [S.l.], v. 1, n. 1, p. 35-40, maio 1994. ISSN 1982-8918. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2013/15399> TANI, G. A educação física e o esporte no contexto da universidade . Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, [S.l.], v. 25, p. 117-126 , dez. 2011. ISSN 1981-4690. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/rbefe/article/view/16848/18561> TARDIFF, M. O conhecimento dos professores. Rio de Janeiro: PUC, 2000. THOMAS, J.R.; NELSON, J.K. Métodos de pesquisa em atividade física. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2002. TOLEDO, E.; VELARDI, M.; NISTA-PICCOLO, V.L. Os desafios da Educação Física Escolar: seus conteúdos e métodos. In: MOREIRA, E.C. ; NISTA-PICCOLO, V. L. (Org.). O quê e como ensinar Educação Física na escola. Jundiaí, SP: Fontoura, 2009. p. 21-26. ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998. ZYLBERBERG, T.P. Possibilidades corporais como expressão da inteligência humana no processo ensino-aprendizagem. 2007. 280f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.por
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/-
dc.subjectEducação física e treinamentopor
dc.subjectCinestesiapor
dc.subjectInteligênciapor
dc.subjectPhysical Educationeng
dc.subjectKinestheticeng
dc.subjectIntelligenceeng
dc.subject.cnpqEducação Físicapor
dc.titleUm olhar para a inteligência corporal cinestésica expressa em aulas de educação física escolarpor
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Andrezza PA Souza.pdfTexto principal930,68 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons