Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/216
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorBURANELLO, Mariana Colombini-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7831909202613418por
dc.contributor.advisor1CASTRO, Shamyr Sulyvan de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6911072543095408por
dc.date.accessioned2016-03-21T13:50:12Z-
dc.date.issued2016-01-21-
dc.identifier.citationBURANELLO, Mariana Colombini. Prática de exames preventivos, risco familiar e fatores associados ao câncer de mama: Inquérito de Saúde da Mulher em Uberaba - MG, 2014. 2016. 108 f. Dissertação (Mestrado em Atenção à Saúde) - Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2016.por
dc.description.resumoMundialmente, o câncer mais frequente entre as mulheres é o de mama, correspondendo a 23% do total de novos casos. As principais estratégias no controle do câncer de mama envolvem a prevenção primária e secundária. A prevenção secundária é composta por ações de detecção precoce, sendo as únicas capazes de promover reduções nas taxas de mortalidade, recebendo maior atenção do sistema de saúde. A presente pesquisa tem por objetivos: caracterizar o perfil socioeconômico, epidemiológico e de saúde das mulheres em Uberaba, segundo a prática de exames preventivos de rastreamento para câncer de mama e o risco de câncer de mama pelo histórico familiar, bem como determinar a prevalência destes desfechos; verificar os hábitos de exames preventivos para câncer de mama entre mulheres de acordo com a faixa etária em Uberaba; verificar a associação entre a prática de exames preventivos de rastreamento para câncer de mama e renda, escolaridade, risco pelo histórico familiar e histórico pessoal de neoplasias geral e de neoplasias benignas da mama, idade, tipo de cobertura do exame de mamografia, etnia, chefe de família e estado conjugal; verificar a associação da ocorrência de câncer de mama segundo o risco pelo histórico familiar, atividade física, aleitamento, nuliparidade, obesidade, envelhecimento e tabagismo. Esta pesquisa faz parte de um projeto maior, o Inquérito de Saúde da Mulher em Uberaba MG (ISA – Mulher), estudo transversal de base populacional. Para a avaliação das características epidemiológicas e sociodemográficas foi utilizado o bloco de identificação dados gerais, antropométricos e de atividade física (questionário internacional de atividade física - IPAQ). Para a avaliação dos hábitos preventivos de exames para câncer de mama foi utilizado um questionário já utilizado em outros inquéritos populacionais com o mesmo objetivo. Para a determinação do risco de desenvolvimento do câncer de mama pelo histórico familiar foi utilizado o instrumento Family History Screen -7 (FHS-7). A amostra foi composta por 1520 mulheres acima de 20 anos residentes em Uberaba-MG. Após o processamento dos dados, a análise estatística foi realizada com medidas de associação com o teste de Qui Quadrado; análise de regressão bivariada e multivariada de Poisson, com significância de 5%. Os resultados demonstraram um perfil de prática de exames preventivos para câncer de mama composto de mulheres de etnia branca, escolaridade e renda per capita mais elevada, estado conjugal “em união”, não chefes de família e não tabagistas. O perfil da prática dos exames preventivos revelou uma maior prevalência da realização do exame clínico das mamas e mamografia para as mulheres entre 50┤69 anos e 40┤49 anos, sendo as mulheres de 70 anos ou mais as que apresentaram menor prevalência de hábitos preventivos. Os fatores associados à maior prevalência da prática dos exames preventivos para câncer de mama foram a faixa etária de 50┤69 anos e 40┤49 anos, renda per capita maior que 1 salário mínimo e cobertura do exame de mamografia pública ou por plano de saúde. A prevalência da ocorrência de câncer de mama na amostra estudada foi de 0,47%. Apenas a variável nuliparidade se associou com a ocorrência do câncer de mama.por
dc.description.abstractWorldwide, the most common type of cancer among women is breast cancer, corresponding 23% of all new cases. The main strategies in breast cancer control involve the primary and secondary prevention. The secondary prevention is composed of early detection actions, and these are the only ones capable of promoting reductions in mortality rates, receiving more attention of the health system. This research aims to: characterize the socioeconomic, epidemiological and health profile of women in Uberaba, according to the practice of preventive examinations for breast cancer and the risk of breast cancer by family history, as well as establish the prevalence of these outcomes; verify habits of preventive examinations for breast cancer among women according to age range in Uberaba; verify the association between the practice of preventive exams of breast cancer and income, education, risk by family history and personal history of general neoplasms and benign pleonasms of breast, age, type of mammography exam coverage, ethnicity, householder and marital status; verify the association of breast cancer occurrence according to risk by family history, physical activity, breast-feeding, nulliparity, obesity, aging and smoking. This research is part of a larger project, the Women's Health Survey in Uberaba MG (ISA - Woman), a transversal population-based study. For the evaluation of epidemiological and sociodemographic characteristics was used the identification block of general data, anthropometrics and physical activity (International Physical Activity Questionnaire - IPAQ). For the evaluation of preventive habits tests for breast cancer was used a questionnaire already used in other health surveys with the same goal. To determine the risk of developing breast cancer by family history was used the instrument Family History Screen 7 (FHS-7). The sample was composed for 1520 women over 20 years old living in Uberaba-MG. After processing the data, the statistical analysis was performed with association measures with the Chi Square test; analysis of bivariate and multivariate Poisson regression, with significance of 5%. The results showed a practice profile of preventive examinations for breast cancer composed by women of white ethnicity, education and income per capita higher, marital status "united", not households and non-smokers. The practice profile of preventive examinations revealed a higher prevalence realization of the clinical breast exam and mammogram for women between 50┤69 years old 40┤49 years old, with women of 70 years old or older who had the lowest prevalence of preventive habits. The factors associated with the higher prevalence of preventive examinations practice for breast cancer were the age range of 50┤69 years old and 40┤49 years old, per capita income higher than one minimum salary and coverage of public mammography exam or by health insurance. The prevalence of breast cancer occurrence in the studied sample was 0.47%. Just nulliparity variable was associated with the occurrence of breast cancer.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttp://bdtd.uftm.edu.br/retrieve/905/Dissert%20Mariana%20C%20Buranello.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal do Triângulo Mineiropor
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências da Saúde - ICS::Curso de Graduação em Enfermagempor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFTMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúdepor
dc.relation.referencesABBAD, G.; TORRES, C.V. Regressão múltipla stepwise e hierárquica em Psicologia Organizacional: aplicações, problemas e soluções. Estudos de Psicologia, Natal. v.7, Número Especial, p. 19-29, 2002. AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR ANS - TABNET. INFORMAÇÕES EM SAÚDE SUPLEMENTAR [Internet]. Disponível em: <http://www.ans.gov.br/anstabnet/notas_taxa_cobertura.htm> Acesso em: 31 out.2015. AGUILLAR, V.L.N. Anatomia, Histologia e Fisiologia da Mama Feminina Relacionadas com os Aspectos de Imagem. In: AGUILLAR, V.; BAUAB, S.; MARANHÃO, N. Mama: diagnósticos por imagem – mamografia, ultra-sonografia, ressonância magnética. 1 ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2009. cap. 1, p. 15-28. AKINYEMIJU, T.F. Socio-Economic and Health Access Determinants of Breast and Cervical Cancer Screening in Low-Income Countries: Analysis of the World Health Survey. PLOS ONE, v7, n,11, p. 8, 2012. AMADOU, A.; TORRES-MEJÍA, G.; HAINAUT, P.; ROMIEU, I. Breast cancer in Latin America:global burden, patterns, and risk factors. Salud Pública de México, v. 56, n.5, p.547-54, 2014. AMORIM, V.M.S.L. As práticas preventivas para o câncer de mama, do colo útero e da próstata em municípios do Estado de São Paulo, Brasil: Um olhar sobre a equidade. 2010. 188 p. Tese (Doutorado) – Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000779185> Acesso em: 08 out. 2014. AMORIM, V.M.S.L.; BARROS, M.B.A.; CÉSAR, C.L.G. et al. Fatores associados a não realização da mamografia e do exame clínico das mamas: um estudo de base populacional em Campinas, São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, n.11, p. 2623-32, 2008. ANJOS, J.C.; ALAYALA, A.; HÖFELMANN, D.A. Fatores associados ao câncer de mama em mulheres de uma cidade do Sul do Brasil: estudo caso-controle. Cad. Saúde Colet. Rio de Janeiro, v.20, n.3, p. 341-50, 2012. ANUNCIAÇÃO, V.K.T. Câncer de mama: análise de custos dos procedimentos assistenciais dos hospitais habilitados como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia em 2011 no Brasil. 2013. 53 f. Monografia (Curso de Graduação em Saúde Coletiva ) - Faculdade de Ceilândia, Universidade de Brasília, Brasilia. Disponível em: < http://bdm.unb.br/handle/10483/6768>. Acesso em: 15 out. 2014. ARAUJO, D. Polarização epidemiológica no Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v.21, n.4, p.6, 2012. ASHTON-PROLLA, P.; GIACOMAZZI, J.; SCHMIDT, A.V.; ROTH, F.L. PALMERO, E.I.; KALAKUN, L. et al. Development and validation of a simple questionnaire for the identification of hereditary breast cancer in primary care. BMC Cancer, London, v. 9, p. 283, 2009. BACCARO, L.F; CONDE, D.M.;COSTA-PAIVA, L.; MACHADO, V.S.S.; PINTO-NETO, A.M. Cancer in Women over 50 Years of Age: A Focus on Smoking. Cancers, v. 7, p.450-459, 2015. BARROS, A.C.; BARROS, M. Formação e desenvolvimento do carcinoma de mama. In: AGUILLAR, V.; BAUAB, S.; MARANHÃO, N. Mama: diagnósticos por imagem – mamografia, ultra-sonografia, ressonância magnética. 1 ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2009. cap. 2, p. 29-39. BELLCROSS, C.A.; PEIPINS, L.A.; MCCARTY, F.A.; RODRIGUEZ, J.L.; HAWKINS, N.A.; ALFORD, S.H. et al. Characteristics associated with genetic counseling referral and BRCA1/2 testing among women in a large integrated health system. Genet Med. v.17, n.1, p. 43–50, 2015. BENEDETTI, T.R.B.; MAZO, G.Z.; BARROS, M.V.G. Aplicação do questionário internacional de atividades físicas (IPAQ) para avaliação do nível de atividades físicas de mulheres idosas: validade concorrente e reprodutibilidade teste-reteste. Revista Brasileira de Ciência do Movimento, Brasília, v. 12, n. 1, p. 25-33, 2004. BRASIL. Ministério da Saúde. Assistência integral à saúde da mulher: bases de ação programática. Brasília: Ministério da Saúde, Brasília, 27p.,1984. ______. Diário Oficial da União. Lei nº 8080/90. Dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o financiamento dos serviços correspondentes e da outras providências. Brasília DF, 19 de setembro de 1990. ______. Ministério da Saúde. Portaria GM 2439/2006, de 31/12/2005, Política Nacional de Atenção Oncológica. Brasília, 2005 ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Controle dos cânceres do colo do útero e da mama. Brasília,2 ed. 124p. 2013. Disponível em: <http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/cab13.pdf>. Acesso em: 10 set. 2014. ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Rastreamento – Brasília: Ministério da Saúde, Brasília, 1 ed., 95p. 2010. Disponível em:<http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/cadernos_ab/abcad29.pdf> Acesso em: 12 set. 2014. 81 ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Instituto do Câncer José Alencar Gomes da Silva. Diretrizes Brasileiras para a Detecção Precoce do Câncer de Mama, 133p. 2014a. ______. Tribunal de Contas da União. Relatório de Auditoria Nacional. Política Nacional de Atenção Oncológica / Tribunal de Contas da União; Relator Ministro José Jorge. – Brasília: TCU, Secretaria de Fiscalização e Avaliação de Programas de Governo, 132 p. 2011a. ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher: Princípios e Diretrizes, 82p.,1. ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2011b. ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília: Ministério da Saúde; Brasília DF, 2010. ______. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Departamento de Apoio à Descentralização. Coordenação-Geral de Apoio à Gestão Descentralizada. Diretrizes operacionais dos Pactos pela Vida, em Defesa do SUS e de Gestão. Brasília,76p., 2006a. ______. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico – VIGITEL. Brasília, 2006b. Disponível em: <http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/vigitel_2006_brasil.pdf. Acessado em 8-12-2011>. Acesso em: 10 out. 2014 ______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Vigitel Brasil 2013: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde. 164 p., 2014b. BRINTON, L.A.; GIERACH, G.L.; PFEIFFER, R.M.; NYANTE, S.J.; SHERMAN, M.E.; PARK, Y. et al. Breast Cancer Risk in Older Women: Results from the NIH-AARP Diet and Health Study. Cancer Causes Control. v.25, n.7, p.843–857, 2014. CARVALHO, F.M.; Carcinoma Mamário – anatomia patológica. In: AGUILLAR, V.; BAUAB, S.; MARANHÃO, N. Mama: diagnósticos por imagem – mamografia, ultra-sonografia, ressonância magnética. 1 ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2009. cap. 4, p. 57-81. CARVALHO, F.M.; PINCERATO K.M. Câncer de mama: anatomia patológica. In: PINOTTI, J.A; FONSECA, A.M.; BAGNOLI, V.R. Tratado de Ginecologia. Rio de Janeiro: Revinter, 2005. cap. 142, p. 851-76. CHAIMOWICZ F. Epidemiologia e o envelhecimento no Brasil. In: Freitas EV, PY L, CANÇADO FAX, GORZONI ML. Tratado de geriatria e gerontologia. 3ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2011. p. 106-130. CLOUD, A.J.; THAI, A.; LIAO, Y.; TERRY, M.B. The impact of cancer prevention guideline adherence on overall mortality in a high-risk cohort of women from the New York site of the Breast Cancer Family Registry. Breast Cancer Res Treat. v.149, p.537–46, 2015. COHEN S.S.; PALMIERI R.T.; NYANTE S.J.; KORALEK D.O.; KIM S.; BRADSHAW P.; OLSHAN A.F. Obesity and screening for breast, cervical, and colorectal cancer in women: a review. Cancer, v.112, n.9, p.1892-904, 2008. COLDITZ, G.A.; BOHLKE, K. Priorities for the Primary Prevention of Breast Cancer. CA: A Cancer Journal for Clinicians, Maple Shade, v.64, n.3, p. 186-194,2014. CORBEX, M.; BURTON, R.; SANCHO-GARNIER, H. et al. Breast cancer early detection methods for low and middle income countries, a review of the evidence. The Breast, v.21, n.4, p.428 – 34, 2012. CRAIG, C.L.; MARSHALL, A.L.; SJÖSTRÖM, M. International Physical Activity Questionnaire:12-Country Reliability and Validity. Medicine & Science in Sports & Exercise, Indianapolis, v. 35, n.11, p. 1381-95, 2003. DAMIANI, G.; FEDERICO, B.; BASSO, D.;RONCONI, A.; BIANCHI, C.B., ANZELLOTTI, G.M. et al.. Socioeconomic disparities in the uptake of breast and cervical cancer screening in Italy: a cross sectional study. BMC Public Health. Londres, v. 12 n. 99, p. 1471-78, 2012. DANTAS, E.L.R; LIMA SÁ, F.H.; CARVALHO, S.M.F.; ARRUDA, A.P.; RIBEIRO, RIBEIRO, E.M. Genética do Câncer Hereditário. Revista Brasileira de Cancerologia, Rio de Janeiro, v. 55, n.3, p. 263-269, 2009. DIAS-DA-COSTA, J.S.; OLINTO, M.T.A.; BASSANI , D.;MARCHIONATTI, C.R.E.; BAIRROS, F.S.; OLIVEIRA, M.L.P. et al. Desigualdades na realização do exame clínico de mama em São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.23, n.7, p.1603-12, 2007. DOCUMĖT,P.I.; BEAR, T.M.; FLATT, J.D.;TRAUTH, J.; MACIA, L.; EDMUND, M. The association of social support and socioeconomic status with breast and cervical cancer screening. Health Educ Behav. v.42, n.1, p.55–64, 2015. ESCOFFERY, C.; RODGERS, K.C.; KEGLER, M.C.; HAARDÖRFER, R.; HOWARD, D.H.; LIANG, S. et al. A systematic review of special events to promote breast, cervical and colorectal cancer screening in the United States. BMC Public Health. Londres, v. 14, n.274,13 p., 2014. FELDEN, J.B.B. FIGUEIREDO, A.C.L. Distribuição da gordura corporal e câncer de mama: um estudo de caso-controle no Sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v.16, n.5, p.2425-33, 2011. 83 FERLAY, J et al. Cancer Incidence and Mortality Worldwide: IARC CancerBase. GLOBOCAN, v.1, n. 11, 2012. Disponível em: <http://globocan.iarc.fr>. Acesso em: 7 out. 2014. FERRINI, K.; GHELFI, F.; MANNUCCI, R.; TITTA, L. Lifestyle, nutrition and breast cancer: facts and presumptions for consideration. Ecancer Medical Science, Milão, v. 9, p.557-71, 2015. FRANÇA-BOTELHO, A.L.; FERREIRA, M.C.; FRANÇA, J.L.; FRANÇA, E.L.; HONÓRIO-FRANÇA, A.C. Breastfeeding and its Relationship with Reduction of Breast Cancer: A Review. Asian Pacific Journal of Cancer Prevention, Korea, v. 13, n. 11, p. 5327-32, 2012. FRIEDENREICH, C. M.; NEILSON, H. K.; LYNCH, B. M. State of the epidemiological evidence on physical activity and cancer prevention. European Journal of Cancer, Paris, v. 46, n.14, p. 2593–2604, 2010. GEBRIM, L.H.; ELIAS, S.; MILLEN, E.; SILVA, B.B.; SOUSA, J.A.; HENKE, C.H. et al. Câncer de Mama – Prevenção Secundária. Sociedade Brasileira de Mastologia. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia. Projeto Diretrizes. Associação Médica Brasileira. Conselho Federal de Medicina. São Paulo. 2011. GOES, E. F.; NASCIMENTO, E. R. Mulheres negras e brancas e os níveis de acesso aos serviços preventivos de saúde: uma análise sobre as desigualdades. Saúde em Debate. Rio de Janeiro, v. 37, n. 99, p. 571-579, 2013. GONZÁLEZ-JIMENEZ, E.; GARCÍA, P. A.; AGUILAR, M. J.; PADILLA, C. A.; ÁLVAREZ, J. Breastfeeding and the prevention of breast câncer: a restrospectal review of clinical histories. Journal of Clinical Nursing, Malden, 2013 [Acesso em: 07/01/2014] Disponível em: doi: 10.1111/jocn.12368. GØTZSCHE, P.C.; JØRGENSEN, K.J. Screening for breast cancer with mammography (Review). The Cochrane Library, Chichester, v. 6, 81 p., 2013. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores Sociodemográficos e de Saúde no Brasil, Rio de Janeiro, 152 p., 2009. ______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Famílias e Domicílios. Resultados da amostra. Rio de Janeiro, 203p., 2012. Disponível em: <http://www.censo2010.ibge.gov.br > Acesso em: 01 nov, 2015. IGENE, H. Global health inequalities and breast cancer: an impending public health problem for developing countries. Breast Journal, Malden, v. 14 n. 5 p. 428-34, 2008. INCA. Instituto Nacional De Câncer José Alencar Gomes Da Silva. Coordenação Geral de Ações Estratégicas. Coordenação de Educação. ABC do câncer: abordagens básicas para o controle do câncer. 2 ed., Rio de Janeiro, 134 p. 2012a. ______. Instituto Nacional De Câncer (Brasil). Controle do Câncer de Mama: Documento do Consenso. 39 p. Rio de Janeiro, 2004. Disponível em: <www.inca.gov.br/publicacoes/consensointegra.pdf> Acesso em: 08 out. 2014. ______. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativa 2014: Incidência de Câncer no Brasil. 124 p., Rio de Janeiro, 2014a. ______. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, Coordenação Geral de Prevenção e Vigilância, Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. Ficha técnica de indicadores relativos às ações de controle do câncer de mama. 10p. Rio de Janeiro, 2014b. ______. Instituto Nacional De Câncer José Alencar Gomes Da Silva (Brasil). Estimativa 2010. Incidência do Câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA, 2009. Disponível em: <http://www1.inca.gov.br/estimativa/2010>. Acesso em: 07/01/2014. ______. Instituto Nacional De Câncer José Alencar Gomes Da Silva. Diretrizes para a detecção precoce do câncer de mama no Brasil. 168p. Rio de Janeiro: 2015a. ______. Instituto Nacional De Câncer José Alencar Gomes Da Silva. Movimento Outubro Rosa. Disponível em:< http://www.inca.gov.br/wcm/outubro-rosa/2015/index.asp > Acesso em: 01 nov. 2015b. ______. Instituto Nacional De Câncer José Alencar Gomes Da Silva. Divisão de Apoio à Rede de Atenção Oncológica. Programa Nacional de Controle do Câncer de Mama, 2010. Rio de Janeiro, 15p.,2011. Disponívelaem: <http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/acoes_programas/site/home/nobrasil/programa_controle_cancer_mama>. Acesso em: 07/01/2014. ______. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Secretaria de Vigilância em Saúde. Inquérito Domiciliar sobre Comportamentos de Risco e Morbidade Referida de Doenças e Agravos não Transmissíveis. 30 p. Rio de Janeiro, 2002. Disponível em: <http://www.inca.gov.br/inquerito>. Acesso em 10 out. 2014. ______. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Recomendações para redução da mortalidade por câncer de mama no Brasil: balanço 2012b. Rio de Janeiro: Inca, 52 p, 2012. Disponível em: <http://www.sbradioterapia.com.br/pdfs/mama2012.pdf> Acesso em: 09 out. 2014. INUMARU, L.E.; SILVEIRA, E.A.; NAVES, M.M.V. Fatores de risco e de proteção para câncer de mama: uma revisão sistemática. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.27, n.7, p.1259-70, 2011. ISA- SP. INQUÉRITOS DE SAÚDE NO ESTADO DE SÃO PAULO. Metodologia, 2001. Disponível em: <http://www.fsp.usp.br/isa sp/old/index_arquivos/Page627.htm> Acesso em: 30 nov. 2014. 85 JACK, R.H.; MØLLER, H; ROBSON, T.; DAVIES, E.A. Breast cancer screening uptake among women from different ethnic groups in London: a population-based cohort study. BMJ: Britsh Medical Journal, London, 4:e005586, 2014. JORGE, L.L.R.; SILVA, R. S. Avaliação da qualidade de vida de portadoras de câncer ginecológico, submetidas à quimioterapia antineoplásica. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v.18, n.5, p.07, 2010. KEMP C.; PETTI D.A.; FERRARO, O.; ELIAS, S. Câncer de Mama – Prevenção Secundária. Sociedade Brasileira de Mastologia. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia. Projeto Diretrizes. Associação Médica Brasileira. Conselho Federal de Medicina. São Paulo. 2002. KOBAYASHI, S.; SUGIURA, H.; ANDO, Y.; SHIRAKI, N.; YANAGI, T.; YAMASHITA, H. Reproductive history and breast cancer risk. Breast Cancer Res, Londres, v.19, p.302–308, 2012. KÖSTERS, J.P.; GØTZSCHE, P.C. Regular self-examination or clinical examination for early detection of breast cancer. The Cochrane Library, Chichester, v. 11, 2013. LAGES, R.B.; OLIVEIRA, G.P.;SIMEÃO FILHO, V.M.; NOGUEIRA, F.M.; TELES, J.B.M; VIEIRA, S.C. Desigualdades associadas à não realização de mamografia na zona urbana de Teresina-Piauí- Brasil, 2010-2011. Rev Bras Epidemiol. Rio de Janeiro,v.15, n.4, p.737-47, 2012. LEITZMANN, M.; POWERS, H.; ANDERSON, A.S.; SCOCCIANTI C.; BERRINO, F.; BOUTRON-RUAULT, M.C. European Code against Cancer 4th Edition: Physical activity and cancer. Cancer Epidemiology 10p. 2015. LIMA, A.L.P.; ROLIM, N.C.O.P.; GAMA, M.E.A.; PESTANA, A.L.; SILVA, E.L.; CUNHA,C.L.F. Rastreamento oportunístico do câncer de mama entre mulheres jovens no Estado do Maranhão, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.27, n.7, p.1433-39, 2011. LIMA-COSTA, F.L.; MATOS, D.L. Prevalência e fatores associados à realização da mamografia na faixa etária de 50-69 anos: um estudo baseado na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (2003). Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, n. 23, n.7, p.1665-1673, 2007. LIPSCHITZ, S. A. Screening for nutritional status in the elderly. Primary Care: Clinics in Office Practice, v. 21, n. 1 p. 55-67, 1994. LYNCH, B.M. Sedentary behavior and cancer: a systematic review of the literature and proposed biological mechanisms. Cancer Epidemiology Biomarkers & Prevetion, Philadelphia, v. 19, p. 2691–2709, 2010. MACCORMACK, V. A.; BOFFETTA, P. Today’s lifestyles, tomorrow’s cancers: trends in lifestyle risk factors for cancer in low- and middle-income countries. Annals of Oncology, Oxford, v. 22, p.2349–2357, 2011. MALONE, K.E.; DALING, J.R.; DOODY, D.R.; HSU, L.; BERNSTEIN, L.; COATES, R.J.; MARCHBANKS, P.A. et al. Prevalence and Predictors of BRCA1 and BRCA2 Mutations in a Population-Based Study of Breast Cancer in White and Black American Women Ages 35 to 64 Years. Cancer Res. Philadelphia, v. 66, n.16, p.8297-8308, 2006. MALTA, D.C.; LEAL, M.C.; COSTA, M.F.L.; MORAIS NETO, O.L. Inquéritos Nacionais de Saúde:experiência acumulada e proposta para o inquérito de saúde brasileiro. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v.11, n. 1, p. 159-167, 2008. MARTINS, C.A et al. Evolução da Mortalidade por Câncer de Mama em Mulheres Jovens: Desafios para uma Política de Atenção Oncológica. Revista Brasileira de Cancerologia, Rio de Janeiro, v.59, n. 3, p. 341-349, 2013. MARTINS, A.F.H.;BARBOSA, T.R.C.G.; CEZAR, L.C. Análise da campanha Outubro Rosa de prevenção do câncer de mama em Viçosa, MG. Revista de Ciências Humanas, Viçosa, v. 14, n. 2, p. 539-556, 2014. MARTINS, E.; FREITAS-JUNIOR, R.; CURADO, M.P.; FREITAS, N.M.A.; SILVA, C.M.B.; OLIVEIRA, J.C. Prevalence of breast cancer in the city of Goiânia, Goiás, Brazil, between 1988 and 2002. São Paulo Med. J., São Paulo , v. 129, n. 5, p. 309-314, 2012. MATOS, J. C.; PELLOSO, D. M.; CARVALHO, M. D. B. Fatores associados à realização da prevenção secundária do câncer de mama no Município de Maringá, Paraná, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.27 n.5, p. 888-898, 2011. MATOS, J. C.; PELLOSO, D. M.; CARVALHO, M. D. B. Prevalência de fatores de risco para o câncer de mama no município de Maringá, Paraná. Rev. Latino-Am. Enfermagem. Ribeirão Preto. v.18, n.3, 8p., 2010. MATSUDO, S.; ARAÚJO, T.; MATSUDO, V.; ANDRADE, D.; ANDRADE E.; OLIVEIRA, L. C. et al. Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Atividade Física & Saúde, Pelotas, v. 6, n. 2, p. 5-16, 2001. MICHELLI, R.A.D.; VIANA, D.V.; BRANDÃO, A.C.C.; PALMERO, E.I. Câncer de mama hereditário e rastreamento em população de alto risco. Rev Bras Mastologia. Rio de Janeiro, v.23, n.2, p.52-58, 2013. MILLER,A.B; WALL, C.; BAINES, C.J. et al. Twenty five year follow-up for breast cancer incidence and mortality of the Canadian National Breast Screening Study: randomised screening trial, BMJ: The British Medical Journal, London, 348:g366, 2014. 87 MINAS GERAIS. Secretaria de Estado da Saúde. Programa de Avaliação e Vigilância do Câncer e seus Fatores de Risco – PAV/MG. Situação do câncer em Minas Gerais e suas macrorregiões de saúde: estimativas de incidência e mortalidade para o ano 2013, válidas para 2014: perfil da mortalidade: perfil da assistência na alta complexidade. Belo Horizonte: SES-MG, v. 1, 360 p.,2013. MOYER, V.A., em nome da U.S. Preventive Services Task Force. Risk Assessment, Genetic Counseling, and Genetic Testing for BRCA-Related Cancer in Women: U.S. Preventive Services Task Force Recommendation Statement. Ann Intern Med, Philadelphia, v.160, p.271-281, 2014. NELSON, H.D.; TYNE, K.; NAIK, A. Screening for Breast Cancer: Systematic Evidence Review Update for the U. S. Preventive Services Task Force. Ann Intern Medicine, Philadelphia, v. 151, n.10, p. 727, 2009. NORAT,T.; SCOCCIANTI, C.; BOUTRON-RUAULT, M.C.; ANDERSON, D.; BERRINO, F.; CECCHINI, M. et al. European Code against Cancer 4th Edition: Diet and cancer. Cancer Epidemiology, 11p, 2015, No Prelo. NOVAES,H.M.D.; BRAGA, P.E.; SCHOUT, D. Fatores associados à realização de exames preventivos para câncer nas mulheres brasileiras, PNAD 2003. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.11, n.4, p.1023-35, 2006. OLIVEIRA, E.X.G.; PINHEIRO, R.S.; MELO, E.C.P.; CARVALHO, M.S. Condicionantes socioeconômicos e geográficos do acesso à mamografia no Brasil, 2003-2008 Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, n. 9, p. 3649-64, 2011. OMRAN, A. The epidemiologic transition: a theory of the epidemiology of population change. Milbank Quarterly.v 83, n.4, p.731-757, 2005. OMS. Organização Mundial da Saúde. Mulheres e saúde: evidências de hoje, agenda de amanhã. Geneva, 112 p., 2011. PACE, L.E.; KEATING, N.M. A Systematic Assessment of Benefits and Risks to Guide Breast Cancer Screening Decisions. JAMA: the journal of the American Medical Association, Chicago. v.311, n. 13, 2014. PALÈNCIA, L.; ESPELT, A.; RODRÍGUEZ-SANZ, M.; PUIGPINÓS, R.; PONS-VIGUÉS, M.; PASARÍN, M.I. Socio-economic inequalities in breast and cervical cancer screening practices in Europe: influence of the type of screening program. Int J Epidemiol. Londres, v.39, n.3, p.757-65, 2010. PASKULIN, L.M.G.; VALER, D.B.; VIANNA, L.A.C. Utilização e acesso de idosos a serviços de atenção básica em Porto Alegre (RS, Brasil). Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro. v.16, n.6, p.2935-2944, 2011. PATE, R.R.; PRATT, M.; BLAIR, S.N.;HASKELL, W.L.; MACERA, C.A.; BOUCHARD, C.; BUCHNER, D.; ETTINGER, W.; HEATH, G.W.; KING, A.C. et al. Physical activity and public health. A recommendation from the Centers for Disease Control and Prevention and the American College of Sports Medicine. JAMA: the journal of the American Medical Association, Chicago, v. 273, n.5, p. 402-7, 1995. PEREGRINO, A.A.F.; VIANNA, C.D.; CAETANO, R.. Análise de Custo-Efetividade da Idade de Início do Rastreamento Mamográfico. Revista Brasileira de Cancerologia, Rio de Janeiro, v.56, n.2, p.187-193, 2010. RENCK, D.V.; BARROS, F.; DOMINGUES, M.R.; GONZALEZ, M.C.; SCLOWITZ, M.L.; CAPUTO, E.L. et al. Equidade no acesso ao rastreamento mamográfico do câncer de mama com intervenção de mamógrafo móvel no sul do Rio Grande do Sul, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.30,n.1,p.88-96, 2014. REYNOLDS, P. Smoking and Breast Cancer. Cancer Journal of Mammary Gland Biology and Neoplasia, New York, v.18, n.1, p.15-23, 2013. RICCI, M.D.; GIRIBELA, A.H.; PINOTTI, M. Métodos diagnósticos em mastologia – exame clínico. In: PINOTTI, J.A; FONSECA, A.M.; BAGNOLI, V.R. Tratado de Ginecologia. Rio de Janeiro: Revinter, 2005. cap. 140, p. 838-40. RODRIGUES, J.D.; CRUZ, M.S.; PAIXÃO, A.N. Uma análise da prevenção do câncer de mama no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 20, n.10, p.3163-76, 2015. SÁNCHEZ, C.R. Vejez y cáncer de mama, el desafío del siglo 21. Revista Medica de Chile, Santiago, v. 140, n.1, p. 649-658, 2012. SANTOS, G.D.; CHUBACI, R.Y.S. O conhecimento sobre o câncer de mama e a mamografia das mulheres idosas frequentadoras de centros de convivência em São Paulo (SP, Brasil). Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.16, n.5, p.2533-40, 2011. SCARINCI, I.C.; BITTENCOURTS, L.; PERSON, S.; CRUZ, R.C.; MOYSÉS, S.T. Prevalência do uso de produtos derivados do tabaco e fatores associados em mulheres no Paraná, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.28, n.8, p.1450-58, 2012. SCHNEIDER, I.J.C.; GIEHL, M.W.C.; BOING, A.F.; D’ORSI, E. Rastreamento mamográfico do câncer de mama no Sul do Brasil e fatores associados: estudo de base populacional. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 30, n.9, p.1987-97, 2014. SCOCCIANTI, C.; KEY, T.J.; ANDERSON, A.S.; ARMAROLI P.; BERRINO, F.; CECCHINI M. et al. European Code against Cancer 4th Edition: Breastfeeding and cancer. Cancer Epidemiol. v 25. n;14, p.226-4, 2015. SILVA, L. C. R.; AMORIM, W. C.; CASTILHO, M. S.; GUIMARAES, R. C.; PAIXAO, T. P. M. M.; PIRFO, C. B. L. Câncer de mama em mulheres acima de 70 anos de idade: diretrizes para diagnóstico e tratamento. Revista de Médica de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 23, n.1, p. 105-112, 2013. 89 SILVA, R.C.F. Evidências científicas e análise comparada de programas de rastreamento: elementos para a discussão de pré-requisitos ao rastreamento organizado de câncer de mama no Brasil [Tese]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca; 2012. SILVA, R. C. F.; HORTALE, V. A. Rastreamento do Câncer de Mama no Brasil: Quem, Como e Por quê? Revista Brasileira de Cancerologia, Rio de Janeiro, v.58, n.1, p.67-7, 2012. TESSER, C.D. Cuidado(!) na prevenção do câncer: ética, danos e equívocos. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, Rio de Janeiro, v. 9, n. 21, p. 180-2, 2014. TIEZZI, D.G. Epidemiologia do câncer de mama. Rev Bras Ginecol Obstet. Rio de Janeiro, v.31, n.5, p.213-5, 2009. TIEZZI, D.G. Rastreamento do câncer de mama no Brasil: ainda há tempo para refletirmos. Rev Bras Ginecol Obstet. Rio de Janeiro, v.35, n.9, p.385-7, 2013. TORRE, L.A.; FREDDIE, B.; SIEGEL, R.L.; FERLAY, J.; LORTET-TIEULENT, J.; JEMAL, A. Global Cancer Statistics, 2012. CA Cancer J. Clin. v.65, n. 2, p.87–108, 2015. URBAN, L.A.B.D.; SCHAEFER, M.B.; DUARTE, D.L.; SANTOS, R.P.; MARANHÃO, N.M.A.; KEFALAS, A.L. Recomendações do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem, da Sociedade Brasileira de Mastologia e da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia para rastreamento do câncer de mama por métodos de imagem. Radiol Bras. v.45, n.6, p.334–339, 2012. VASCONCELOS, A.M.N.; GOMES, M.M.F. Transição demográfica: a experiência brasileira. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v.21, n. 4, p. 10, 2012. VIACAVA, F. Informações em saúde: a importância dos inquéritos populacionais. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.7, n.4, p. 607-621, 2002. VIACAVA, F.; SOUZA, P.R.B.; MOREIRA, J.R.S. Estimativas da cobertura de mamografia segundo inquéritos de saúde no Brasil. Rio de Janeiro. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v.43, n. 2, p. 117-125, 2009. WHO. World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. WHO Consultation on Obesity. Geneva, 1997. YANG, X. R.; CHANG-CLAUDE J.; GOODE, E. L.; COUCH G. F.; NEVALLINNA, H.; MILNE, R. L. et al. Associations of Breast Cancer Risk Factors With Tumor Subtypes: A Pooled Analysis From the Breast Cancer Association Consortium Studies. Journal of the National Cancer Institute, Oxford, v. 103 n. 3, p. 250–263, 2011.por
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/-
dc.subjectSaúde da Mulherpor
dc.subjectNeoplasias da Mamapor
dc.subjectPrevenção de Câncer de Mamapor
dc.subjectFatores de Riscopor
dc.subjectInquéritos Epidemiológicospor
dc.subjectWomen's Healtheng
dc.subjectBreast Neoplasmseng
dc.subjectBreast Cancer Preventioneng
dc.subjectRisk Factorseng
dc.subjectHealth Surveyseng
dc.subject.cnpqEnfermagempor
dc.titlePrática de exames preventivos, risco familiar e fatores associados ao câncer de mama: Inquérito de Saúde da Mulher em Uberaba - MG, 2014por
dc.title.alternativePreventive examinations practice, familial risk and associated factors with breast cancer: Women’s Health Survey in Uberaba - MG, 2014.eng
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Mariana C Buranello.pdfDissert Mariana C Buranello827,75 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons