Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/48
Tipo: Dissertação
Título: Efeito do citrato de sildenafil sobre o controle autonômico cardiovascular em ratos normotensos.
Autor: Capuano, Vanessa 
Primeiro orientador: Silva, Valdo José Dias da
Resumo: O citrato de sildenafil (Viagra) é um fármaco amplamente utilizado e eficaz no tratamento atual da disfunção erétil. Vários estudos clínicos, entretanto, têm demonstrado que em pacientes cardiopatas em uso de nitratos orgânicos, a associação com o sildenafil pode elevar o risco de eventos cardíacos fatais. Entre os mecanismos implicados nesta elevação de risco, destaca-se uma eventual ação do sildenafil provocando uma ativação simpática reflexa decorrente de seus efeitos vasodilatadores e hipotensores. Entretanto, poucos são os estudos que confirmam esta hipótese. O objetivo do presente trabalho é avaliar se o sildenafil é capaz de provocar um desequilíbrio autonômico, empregando a análise de variabilidade cardiovascular, por meio de análise espectral associada ao estudo do reflexo barorreceptor cardíaco e à avaliação do tônus autonômico cardíaco, por meio de bloqueio farmacológico. Um total de trinta e um ratos Wistar, machos, normotensos, com peso de 250-350 gramas, foram utilizados. Vinte quatro horas antes da aferição direta dos parâmetros cardiovasculares, os animais foram anestesiados com pentobarbital sódico (40 mg/kg, i.p.) e tiveram a artéria e veia femorais cateterizadas. No dia seguinte, após 15 minutos de registro basal de pressão arterial (PA), um grupo de animais (grupo Sil, n=18) recebeu uma dose em bolus (1mg/Kg. i.v.) seguido de infusão continua (1mg/Kg/hora, i.v.) de sildenafil. Um segundo grupo de animais (grupo Con, n=13) recebeu bolus inicial (1mL/Kg) e infusão contínua (1mL/Kg/hora) de solução fisiológica a 0,9% (veículo). A pressão arterial foi registrada por 30 minutos após o início de tratamento e em seguida foi analisada por meio de análise espectral da variabilidade das séries temporais do intervalo de pulso (IP) e da pressão arterial sistólica (PAS), derivadas da pressão arterial pulsátil. Valores médios de IP e PAS, bem como seus respectivos valores de variância e componentes espectrais de baixa (LF) e alta freqüência (HF) foram quantificados. Em adição, estas séries temporais foram também empregadas para estimação da sensibilidade barorreflexa cardíaca espontânea, através do cálculo do índice-alfa (raiz quadrada da razão entre LF do IP e LF da PAS). Em seguida, doses em bolus alternadas de fenilefrina e nitroprussiato de sódio foram administradas para indução de alterações na PA e avaliação das respostas reflexas da freqüência cardíaca (FC), as quais permitiram o cálculo da sensibilidade barorreflexa cardíaca induzida farmacologicamente. Por fim, bloqueio farmacológico com atropina e propranolol foi empregado para a estimação do controle tônico simpático e parassimpático cardíaco, da freqüência intrínseca de marcapasso cardíaca (FIMC) e do índice simpato-vagal cardíaco (razão da FC basal pela FIMC). O tratamento com sildenafil provocou uma significativa taquicardia (FC de 325±8bpm no basal para 355±9bpm após o tratamento, p<0,001) e hipotensão arterial (PAS de 130±3mmHg para 125±3, p<0,05), enquanto a infusão de veículo não provocou nenhuma modificação nos parâmetros hemodinâmicos médios. Os índices espectrais de variabilidade do IP e da PAS não sofreram modificações após o tratamento em comparação com o período basal em ambos os grupos. As sensibilidades barorreflexas espontânea e induzida não diferiram entre os dois grupos, assim como a FIMC. Quanto ao tônus autonômico, o sildenafil induziu uma significativa redução do efeito parassimpático vagal sobre o coração acompanhado de uma elevação do ISV, com tendência de aumento do efeito simpático cardíaco. Concluindo, embora o sildenafil administrado agudamente provoque uma ligeira hipotensão arterial associada a uma leve taquicardia, provavelmente de origem reflexa, decorrente de uma inibição parassimpática vagal, estas alterações não foram associadas a modificações nos parâmetros de variabilidade da pressão arterial e da freqüência cardíaca e na sensibilidade barorreflexa cardíaca.
Resumo: Sildenafil citrate (Viagra) is a broadly used agent to treat erectile dysfunction. Several clinical trials, however, have demonstrated that in heart diseased patients in use of organic nitrates, the association with sildenafil could significantly enhance cardiac events risk. The possible mechanisms implicated in this increased risk are not completely understood, but an eventual reflex sympathetic over-activation due to the vasodilation and light hypotension caused by sildenafil may not be ruled out. However, there are only a few reports in literature concerning to this issue. Therefore, the aim of the present study was to evaluate if sildenafil, acutely administrated, is able to provoke autonomic imbalance by means of spectral analysis of heart rate and arterial pressure variabilities, associated to evaluation of the spontaneous and induced baroreflex control of heart rate and to measurements of the cardiac tonic autonomic control by means of pharmacological blockade. Thirty one normotensive male Wistar rats, weighing 250-350 gr. were studied. Twenty four hours before direct measurements of hemodynamic parameters, the animals were anesthetized with sodium pentobarbital (40 mg/kg, i.p.) e had their femoral vessels catheterized for direct arterial blood pressure recordings and drug administration. In the following day, after fifteen minutes of baseline arterial pressure (AP) recordings, a group of animals (Sil, n=18) has received a bolus injection (1mg/Kg. i.v.) followed by continuous administration (1mg/Kg/hour, i.v.) of sildenafil. A second group of animals (Con, n=13) has received a bolus injection (1mL/Kg) and a continuous infusion (1mL/Kg/hora) of physiological saline solution (vehicle). Arterial blood pressure was continuously recorded during thirty minutes after to start the treatment and it was analyzed by means of spectral analysis of heart rate (pulse interval-PI) and systolic (SAP) arterial pressure variabilities, which were extracted from direct pulsatile arterial blood pressure signal. Mean values of PI and SAP as well as its respective values of variance and low (LF) and high frequencies (HF) spectral components were quantified. In addition, PI and SAP time series were used to estimate the alfa-index (square root of ratio between LF-PI and LF-SAP), an index that measures the spontaneous cardiac barereflex sensitivity. Following, alternate bolus injections of phenylephrine and sodium nitroprusside were administrated in order to induce changes in arterial pressure and to evaluate barorreflex-mediated heart rate responses, which permit to calculate an index of pharmacologically induced baroreflex sensitivity. At the end of the experimental protocol, sequential pharmacological blockade of autonomic nervous system using atropine or propranolol was performed in order to estimate the sympathetic and parasympathetic cardiac tonic control, the pacemaker intrinsic heart rate (IHR) and the sympathovagal index (ratio between basal HR and IHR). Sildenafil caused a significant tachycardia (from 325±8bpm in baseline to 355±9bpm after treatment, p<0,001)and arterial hypotension (PAS from 130±3mmHg in baseline to 125±3mmHg, p<0,05), while saline (vehicle) infusion did not provoke any change in the hemodynamic parameters. Spectral components of PI and SAP variability as well as spontaneous and pharmacologically induced barorreflex sensitivities and IHR were not modified after treatment for both sildenafil and vehicle. Regarding to heart rate tonic control, sildenafil induced a significant reduction of parasympathetic vagal effect on the heart associated to an increase in SVI and a trend towards increased sympathetic effect on heart rate. In conclusion, although sildenafil, acutely administrated, causes a light arterial hypotension associated to probably reflex tachycardia, due to vagal parasympathetic inhibition, these changes were not associated to alterations in heart rate and arterial pressure variabilites and cardiac baroreflex sensitivity.
Palavras-chave: Sistema cardiovascular
Ratos
Sildenafil
Cardiovascular System
Rats
Sildenafil
Área do CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::ANATOMIA PATOLOGICA E PATOLOGIA CLINICA
Idioma: por
País: BR
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Patologia Clínica
Programa: Programa de Pós-Graduação em Patologia
Citação: CAPUANO, Vanessa. Efeito do citrato de sildenafil sobre o controle autonômico cardiovascular em ratos normotensos.. 2007. 90 f. Dissertação (Mestrado em Patologia Clínica) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2007.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Data do documento: 11-Jun-2007
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Patologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_VanessaCapuanoME.pdf757 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.