Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/56
Tipo: Dissertação
Título: Avaliação da resposta inflamatória e da capacidade funcional em pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico: efeito da intervenção fisioterapêutica
Autor: Timóteo, Rodolfo Pessato 
Primeiro orientador: Murta, Beatriz Martins Tavares
Resumo: O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença auto-imune caracterizada por lesões cutâneas e manifestações sistêmicas, com períodos de exacerbação e remissão. Na fisiopatologia da doença destaca-se a produção de auto-anticorpos, hiperatividade dos linfócitos B e T, e alteração na expressão de citocinas. O objetivo geral foi avaliar a resposta inflamatória, a capacidade funcional e a qualidade de vida de pacientes com LES sob medicação, submetidos ou não à cinesioterapia. Foram avaliadas 16 mulheres com LES, em diferentes estágios evolutivos, em uso de corticóides e/ou drogas modificadoras de doenças reumáticas e 18 mulheres voluntárias que constituíram o grupo controle. Na primeira etapa foi avaliada a resposta inflamatória entre controles e pacientes com LES, por meio da dosagem sérica (ELISA) de IL-2, IL-5, IL-6, IL-8, IL-10 e TNF-a, ensaio de fagocitose de neutrófilos, quantificação da expressão do receptor CXCR2 e da integrina CD11b na superfície de neutrófilos e linfócitos por citometria de fluxo. Houve aumento significativo dos níveis séricos de IL-6, IL-8 e IL-10 nas pacientes com LES comparado ao grupo controle. No grupo de pacientes houve redução no índice fagocítico e na expressão de CD11b em linfócitos comparado ao grupo controle. Na segunda etapa, as pacientes foram divididas em 2 grupos, sendo grupo 1: medicação (n=10) e grupo 2: medicação + cinesioterapia (n=6), após 4 meses de tratamento foram avaliadas novamente. A capacidade funcional foi avaliada por meio de avaliação postural, antropométrica, de flexibilidade (banco de Wells, peitorais e isquiotibiais), do equilíbrio (Tinetti) e da força muscular. A qualidade de vida foi avaliada pelo questionário SF-36. O questionário SLEDAI foi utilizado para avaliar a gravidade da doença, o qual não apresentou diferenças entre os grupos. Após seguimento do tratamento, houve redução dos níveis séricos de IL-5 e IL-6 nos dois grupos, e de IL-8 e IL-10 no grupo tratado apenas com medicação. No grupo tratado com medicação e cinesioterapia houve redução de IL-2 no soro, redução da expressão de CD11b em neutrófilos, bem como aumento da expressão de CXCR2 em neutrófilos e de CD11b em linfócitos. Ainda, nesse grupo, houve aumento significativo de flexibilidade e da força muscular, e melhora significativa na limitação por aspectos físicos e na dor, após seguimento, enquanto que o grupo tratado apenas com medicação apresentou aumento nas circunferências do abdome e quadril. Em conclusão, pacientes com LES sob terapia medicamentosa, sem doença em atividade, apresentam diferenças nos parâmetros de resposta inflamatória em relação ao grupo controle, como aumento de IL-6 e IL-10, redução da capacidade fagocítica e da expressão de CD11b em linfócitos. A cinesioterapia aumentou a expressão de CXCR2 em neutrófilos e de CD11b em linfócitos, reduziu IL-2 sérica, aumentou a força e a flexibilidade dos pacientes tratados, com consequente melhora da dor e da limitação por aspectos físicos.
Resumo: The Systemic lupus erythematosus (SLE) is an autoimmune disease characterized by cutaneous lesions and systemic manifestations, with periods of exacerbation and remission. In the physiopathology of the disease, an autoantibody production, B and T lymphocyte hyperactivity, and alteration in the expression of cytokines. The general aim was to essay the inflammatory response, the functional capacity and the quality of life of the patients with SLE under medication, submitted or not to the kinesiotherapy. Avaluated 16 women with SLE in different evolutive stages, using corticoids and/or rheumatic disease modifying drugs and 18 women volunteers constituted the control group. In the first stage the inflammatory response was assessed between the control and the patients with SLE, by the serum dosage of cytokines (ELISA) of the pattern IL-2, IL-5, IL-6, IL-8, IL-10 and TNF-a, an assay of neutrophil phagocytosis and quantification of the receptor expression CXCR2 and the integrin CD11b in the surface of neutrophil and lymphocyte by flow cytometry. There was a significant increase in serum levels of IL-6, IL-8 e IL-10 in patients with SLE compared to the control group. Yet, the group of patients there was a reduction in the phagocitic index and expression of CD11b in lymphocytes in the compared to the control group. In the second stage, the patients were divided into two groups, being group 1: medication (n=10) e group 2: medication + kinesiotherapy (n=6) and again assessed. The functional capacity of the group of patients, was evaluated by postural, flexibility (Wells bench, chest and ischiotibials), anthropometric, balance (Tinetti) as well as muscular strength analyzing. The quality of life was assessed by the questionnaire SF-36. The questionnaire SLEDAI was used to assess the illness severity, which did not present significant difference between the groups. After following the treatment, there was reduction of serum levels of IL-5 and IL-6 in both groups, and IL-8 and IL-10 in the group treated only with medication. In the groups treated with medication and kinesiotherapy there was a reduction of IL-2 in serum, reduction of the expression CD11b in neutrophils, as well as an increase of the expression of CXCR2 in neutrophils and CD11b in lymphocyte. Yet, in this group, it was observed a meaningful increase of flexibility and muscular strength, and significative improvement in the limitation by physical aspects and in the pain, after following, while the group treated only with medication presented increase in the waist and hip circumferences. In conclusion there was no difference in relation to the SLEDAI index between the groups. In conclusion, patients with SLE under medication therapy, without disease in activity, presented differences in the parameters of the inflammatory response in relation to the control group, as increase of cytokines IL-6 e IL-10, reduction of the phagocytic capacity and expression of CD11b in lymphocytes. The kinesiotherapy increased the expression of CXCR2 in neutrophils and CD11b in lymphocyte, decreased IL-2 serum, increased the strength and the flexibility of patients treated with, with a following improviment of the pain and limitation by physical aspects.
Palavras-chave: Lúpus eritematoso sistêmico
Citocinas
Receptor CXCR2
Fagocitose
Cinesioterapia
Capacidade funcional
Systemic lupus erythematosus
Cytokines
Receptor CXCR2
Phagocytosis
kinesiotherapy
Physiotherapy intervention
Functional capacity
Área do CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Idioma: por
País: BR
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Bioquímica, Fisiologia e Farmacologia
Programa: Curso de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas
Citação: TIMÓTEO, Rodolfo Pessato. Avaliação da resposta inflamatória e da capacidade funcional em pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico: efeito da intervenção fisioterapêutica. 2013. 16 f. Dissertação (Mestrado em Bioquímica, Fisiologia e Farmacologia) - Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2013.
Tipo de Acesso: Acesso Embargado
Data do documento: 24-Jul-2013
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Rodolfo Dissert.pdf57,09 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.