Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/678
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorALVES, Vitor Mendonça-
dc.contributor.advisor1SOUZA, Helio Moraes-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0502276939556083por
dc.date.accessioned2019-06-13T18:22:00Z-
dc.date.issued2010-12-02-
dc.identifier.citationALVES, Vitor Mendonça. Estudo de genótipo eritrocitário em doadores de sangue e em 10 politransfundidos pelo Hemocentro Regional de Uberaba/ Fundação Hemominas e Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). 2010. 138f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2010.por
dc.description.resumoIntrodução: Pacientes com hemoglobinopatias, doenças onco-hematológicas e outros politransfundidos estão sujeitos à aloimunização eritrocitária, reações hemolíticas e até8 mesmo de óbito, devido à alta quantidade de antígenos eritrocitários que pode resultar em incompatibilidades entre doadores de sangue e pacientes. Tais complicações podem ser minimizadas pela genotipagem eritrocitária que, entretanto, ainda é pouco realizada no Brasil. A frequência dos genótipos eritrocitários varia de acordo com a etnia; porém, estes estudos, comuns em São Paulo e no Paraná, não têm sido realizados em Minas Gerais, onde negros e pardos são mais prevalentes. Objetivos: pesquisar e determinar a frequência de genótipos dos sistemas Rh, Kell, Duffy e Kidd em doadores de sangue e politransfundidos, comparar frequências com relação ao gênero e etnia, avaliar os fenótipos, comparando-os aos genótipos; nos pacientes: verificar o número de transfusões de concentrados de hemácias (CH) (total e nos três meses prévios às coletas sanguíneas), o número de transfusões incompatíveis aos genótipos, a presença de aloanticorpos e o número de transfusões em aloimunizados e não aloimunizados. Metodologia: Após consentimento, amostras sanguíneas foram coletadas de 287 indivíduos (170 doadores e 117 pacientes) em tubos com EDTA (Ácido Etilenodiamino Tetra-Acético), os quais foram centrifugados, separando-se os elementos figurados do plasma. As hemácias foram fenotipadas para os antígenos C, c, E, e (sistema Rh); K, k (Kell); Fya, Fyb (Duffy) e Jka, Jkb (Kidd). Os pacientes foram também submetidos ao Teste da Antiglobulina Direta (TAD). O DNA foi extraído dos leucócitos e submetido à genotipagem eritrocitária (PCR-AS, Multiplex ou RFLP) para os alelos RHD, RHD*Ψ - RHD Pseudogene, RHCE*C/c, E/e (sistema Rh); KEL*1/2 (Kell); FY*A/B, GATA-1 (Duffy) e JK*A/B (Kidd). Dados clínicos e epidemiológicos foram coletados, armazenados e comparados pelos testes MannWhitney, Qui-quadrado e Exato de Fisher (nível de significância 5%). Resultados: Nos doadores e pacientes, os genótipos mais frequentes foram: sistema Rh (RHD pos., RHD*Ψ neg., RHCE*cc, RHCE*ee); Kell (KEL*2/KEL*2); Duffy (FY*B/FY*B, GATA-67t/t); Kidd (JK*A/JK*B). A mutação GATA-67c/c foi encontrada em 22,22% dos pacientes e 7,65% dos doadores (p = 0,002). Na comparação entre doadores e pacientes com anemia falciforme, o RHD*Ψ foi observado em 4,76% destes últimos e 0% dos doadores (p = 0,027); diferenças significantes também ocorreram na região GATA-1 e sistema Kidd. Quanto ao gênero, nos doadores, GATA-67c/c em 12,94% dos homens e 2,35% das mulheres (p = 0,034). Na população total estudada, os genótipos RHD positivo, RHCE*cc, FY*B/FY*B, GATA-67c/c e JK*A/JK*A foram os mais comuns em negros; RHD negativo, RHCE*Cc, FY*A/FY*A, GATA-67t/t, JK*A/JK*B e JK*B/JK*B nos brancos. Discrepâncias genótipo(s)/fenótipo(s) foram observadas em quatro doadores (2,35%) e 42 pacientes (35,90%); estes indivíduos receberam mais transfusões de CH (total e nos três meses prévios às coletas sanguíneas), incluindo eritrócitos com fenótipos incompatíveis aos seus genótipos, em comparação aos9 pacientes sem discrepâncias; diferenças significantes foram observadas em todos estes casos. TAD positivo ocorreu em 50% dos receptores com discrepâncias e em 17,33% dos outros pacientes (p < 0,001). Aloimunização foi encontrada em 23 (19,66%) receptores, dentre os quais, 13 (56,52%) apresentaram aloanticorpos do sistema Rh. Dos 42 pacientes com discrepâncias, seis (14,29%) tinham histórico de aloimunização e três (7,14%) apresentaram Teste da Antiglobulina Indireta (TAI) positivo após coleta sanguínea e detecção de discrepâncias. A mediana de transfusões de CH foi nove nos aloimunizados e 7,5 nos não aloimunizados (p = 0,081). Conclusões: Muitas diferenças genotípicas foram observadas em comparação a outros trabalhos realizados em São Paulo e Paraná, o que reforça a importância deste estudo em diferentes regiões do país. Quanto à mutação GATA-67c/c, sua maior frequência nos pacientes se deve ao maior número de negros neste grupo, o que também pode explicar os maiores percentuais não apenas desta mutação como também de RHD*Ψ e JK*A/JK*A nos portadores de anemia falciforme em relação aos doadores. Nos doadores do gênero masculino, a maior frequência de GATA-67c/c foi possivelmente devido à alta miscigenação no Brasil. A associação entre TAD positivo e as discrepâncias observadas corroboram a necessidade de realização deste teste em todos os politransfundidos submetidos à fenotipagem. O grande número de discrepâncias genótipos/fenótipos nestes indivíduos reforça a importância da definição correta de seus perfis antigênicos através da genotipagem associada à fenotipagem, uma firme e efetiva atuação dos Comitês Transfusionais e de políticas que levam a um aumento das doações sanguíneas no país, reduzindo a transfusão de eritrócitos incompatíveis e consequentemente minimizando os riscos de aloimunização, reação hemolítica pós-transfusional e até mesmo óbito em politransfundidos.por
dc.description.abstractIntroduction: Patients with hemoglobinopathies, onco-hematological diseases and other multitransfused individuals are subject to Red Blood Cell (RBC) alloimmunization, hemolytic reactions and even death because of the high quantity of RBC antigens that might result in incompatibilities between blood donors and patients. These complications can be minimized through RBC genotyping which, however, is not often performed in Brazil. The frequency of RBC genotypes varies according to ethnicity; however, these studies, common in São Paulo10 and Paraná, have not yet been carried out in Minas Gerais, where the Afro-descendant populations are more prevalent. Objectives: research and determine the frequency of genotypes in the Rh, Kell, Duffy and Kidd systems in blood donors and multitransfused patients, compare these frequencies concerning gender and ethnicity, evaluate phenotypes by comparing them to genotypes; and in patients: verify the number of RBC transfusions (total and in the three months before blood collections), the number of transfusions incompatible with the genotypes, the presence of alloantibodies and the number of transfusions in alloimmunized and non-alloimmunized individuals. Methodology: After consent, blood samples were collected from 287 subjects (170 donors and 117 patients) in EDTA (Ethylenediamine Tetraacetic Acid) tubes, which were centrifuged, in order to separate the figurated elements from the plasma. The RBCs were phenotyped for C, c, E, e antigens (Rh system); K, k (Kell); Fya, Fyb (Duffy) and Jka, JKb (Kidd). The patients were also subjected to Direct Antiglobulin Test (DAT). DNA was extracted from the leucocytes and submitted to RBC genotyping (AS-PCR, Multiplex or RFLP) for the alleles RHD, RHD*Ψ - RHD Pseudogene, RHCE*C/c, E/e (Rh system); KEL*1/2 (Kell); FY*A/B, GATA-1 (Duffy) and JK*A/B (Kidd). Clinical and epidemiological data were collected, stored and compared using Mann-Whitney, Chi-Square and Fisher Exact Tests (significance level: 5%). Results: In donors and patients, the most frequent genotypes were: Rh system (RHD pos., RHD*Ψ neg., RHCE*cc, RHCE*ee); Kell (KEL*2/KEL*2); Duffy (FY*B/FY*B, GATA-67t/t); Kidd (JK*A/JK*B). GATA-67 c/c mutation was found in 22.22% of the patients and 7.65% of the donors (p = 0.002). Comparing donors and patients with sickle cell disease, RHD*Ψ was observed in 4.76% of the latter and 0% of the donors (p = 0.027); significant differences also occurred in the GATA-1 region and Kidd system. As for gender, in the donors, GATA-67c/c was 12.94% in men and 2.35% in women (p = 0.034). In the whole population studied, RHD positive, RHCE*cc, FY*B/FY*B, GATA-67c/c and JK*A/JK*A genotypes were more common in the Afro-descendants; RHD negative, RHCE*Cc, FY*A/FY*A, GATA-67t/t, JK*A/JK*B and JK*B/JK*B in the Caucasians. Genotype/phenotype discrepancies were observed in four donors (2.35%) and 42 (35.90%) patients; these individuals received more RBC transfusions (total and in the three months before blood collections), including RBCs with phenotypes incompatible with their own genotypes, in comparison to the patients without discrepancies; significant differences were observed in all these cases. Positive DAT occurred in 50% of the receptors with discrepancies and in 17.33% of the other patients (p < 0.001). Alloimmunization was found in 23 (19.66%) receptors, among which, 13 (56.52%) presented alloantibodies from Rh system. Out of the 42 patients with discrepancies, six11 (14.29%) had a history of alloimmunization and three (7.14%) presented Indirect Antiglobulin Test (IAT) positive after blood collection and also detection of discrepancies. The median of RBC transfusions was nine in the alloimmunized and 7.5 in the non-alloimmunized individuals (p = 0.081). Conclusions: Several genotypic differences were observed in comparison with other studies carried out in São Paulo and Paraná, reinforcing the importance of the study in different regions of the country. As for GATA-67c/c mutation, its higher frequency in the patients was due to the larger number of Afro-descendants in this group, which may also explain the higher rates not only of this mutation as well as RHD*Ψ and JK*A/JK*A in the individuals with sickle cell disease in relation to the donors. In the male donors, the higher frequency of GATA-67c/c was possibly due to the high miscegenation in Brazil. The association between positive DAT and the discrepancies corroborates the need of this test in all multitransfused patients submitted to phenotyping. The high levels of genotype/phenotype discrepancies in these individuals reinforce the importance of the correct definition of their antigenic profiles through RBC genotyping associated to phenotyping. Moreover, a firm and effective action of the Transfusion Committees and policies that lead to the increase of blood donations in the country is necessary, in order to reduce transfusions of incompatible erythrocytes and thereby minimize risks of alloimmunization, post-transfusion hemolytic reaction and even death in multitransfused patients.eng
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Geraispor
dc.description.sponsorshipPrograma de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federaispor
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttp://bdtd.uftm.edu.br/retrieve/4318/Dissert%20Vitor%20M%20Alves.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal do Triângulo Mineiropor
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências da Saúde - ICS::Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúdepor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFTMpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências da Saúdepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/-
dc.subjectTransfusão de sangue.por
dc.subjectEritrócitos.por
dc.subjectGenótipo.por
dc.subjectFenótipo.por
dc.subjectImunização.por
dc.subjectBlood transfusions.eng
dc.subjectErythrocytes.eng
dc.subjectGenotype.eng
dc.subjectPhenotype.eng
dc.subjectImmunization.eng
dc.subject.cnpqCiências da Saúdepor
dc.titleEstudo de genótipo eritrocitário em doadores de sangue e em 10 politransfundidos pelo Hemocentro Regional de Uberaba/ Fundação Hemominas e Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)por
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Vitor M Alves.pdfDissert Vitor M Alves6,65 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons