Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/345
Tipo: Dissertação
Título: Recuperação da frequência cardíaca após diferentes protocolos de treino em circuito e sua relação com a variabilidade da frequência cardíaca de repouso em mulheres pós-menopausadas fisicamente ativas
Autor: ROCHA, Alessandro José da 
Primeiro orientador: BARBOSA NETO, Octávio
Resumo: A menopausa é marcada por alterações fisiológicas hemodinâmicas e metabólicas na mulher. No entanto, são os efeitos da deficiência estrogênica em longo prazo que mais preocupam, pois podem levar a comprometimentos importantes, como as doenças cardiovasculares. A terapia de reposição estrogênica é uma forma de amenizar as consequências da deficiência hormonal e o exercício físico contribui significativamente para a redução do risco cardiovascular, particularmente na função autonômica cardíaca. A investigação da magnitude da recuperação da frequência cardíaca (FC) pós-exercício, é uma forma de avaliar a integridade autonômica cardiovascular. O objetivo do presente estudo foi de avaliar o efeito de três diferentes tipos de treino em circuito sobre a reativação vagal plena em mulheres pós-menopáusicas sem e com reposição hormonal. Foram estudadas 14 mulheres fisicamente ativas, com 57,7±1,7 anos de idade distribuídas em 2 grupos: sem reposição (GSR, n=09) e com reposição hormonal (GCR, n=05). Todos os grupos realizaram um circuito aeróbio com intensidade de 60-70% da FC máxima, circuito resistido com intensidade de 60% da carga voluntária máxima e um circuito combinando o aeróbio e o resistido com intensidade de 60-70%. Foram avaliados a FC e a variabilidade da FC (VFC) em repouso e após os diferentes tipos de circuito e a reativação vagal plena. Foi utilizado o teste ANOVA de um fator para medidas repetidas. O nível de significância foi de 5 %. O grupo de mulheres pós-menopáusicas que realizavam reposição hormonal apresentou uma maior bradicardia de repouso, além de uma redução simpática e um aumento da modulação vagal da VFC. Após o teste ortostático, entretanto, nós observamos uma menor amplitude de resposta da FC, e das modulações simpáticas e parassimpáticas mensuradas pela análise espectral nas mulheres sem e com reposição hormonal. Os valores médios da FC durante o exercício físico foram maiores no circuito resistido em comparação ao aeróbio, independentemente da reposição hormonal. Após a sessão de exercício, entretanto, a recuperação da FC foi mais rápida no circuito aeróbio em comparação aos outros tipos de circuito. Após as sessões de circuito resistido e combinado, a RVP ocorreu tardiamente em relação à sessão de circuito aeróbio. Quando separadas de acordo com a terapia hormonal, o grupo que realiza reposição teve uma reativação vagal plena mais rápida do que as mulheres que não realizam esse tratamento. Em conclusão, nossos resultados sugerem que o tipo e a intensidade do exercício físico influenciam na reativação vagal plena e, consequentemente na frequência cardíaca no período de recuperação pós-exercício. Além do mais, a terapia de reposição hormonal na menopausa tem uma importante ação sobre a modulação autonômica da frequência cardíaca tanto em repouso quanto na fase subaguda em decorrência aos diferentes treinos em circuito.
Resumo: The menopause is marked by physiological hemodynamic and metabolic changes in woman. However, long-term effects of estrogen deficit that could possibly lead to serious diseases, such as cardiovascular disease, are the problems that concern us the most. The estrogen replacement therapy is a way to reduce the consequences of hormone deficiency and exercise training contributes significantly to the reduction of cardiovascular risk, particularly on cardiac autonomic function. The investigation of the post-exercise recovery heart rate (HR) magnitude is a way to assess the autonomic cardiovascular integrity. The aim of this study was to assess the effect of three different types of circuit training on the full vagal reactivation in menopausal women that not receiving and receiving hormonal replacement treatment. Eighteen trained women with 57.7±1.7 years old were divided in two groups, as follows: without (GNHT, n=09) and with hormone therapy (GWHT, n=05). Menopausal women had an aerobic circuit with intensity of 60-70% of maximum HR, resistance circuit with intensity of 60% of maximum voluntary load and mixed aerobic and resistance circuit. Were evaluated the HR and HR variability (HRV) at rest and after different types of circuit training and full vagal reactivation. ANOVA one way to repeated measures was applied. The level of significance was set at 5%. The group of menopausal women who received hormone therapy had a higher resting bradycardia, as well as a sympathetic reduction and an increase in vagal modulation of HRV. After the orthostatic test, however, we noted a lesser response of HR, the sympathetic and parasympathetic modulation measured by means of spectral analysis in women without hormone therapy. The mean of values of HR during exercise were higher in resistance circuit compared to aerobic, independent of hormone replacement. After the exercise, however, recovery of HR was faster in aerobic circuit in comparison with other circuit training. After the resistance and mixed sessions of circuit training, the full vagal reactivation occurred later in relation to the aerobic circuit. When separated by hormone therapy, the group with hormonal replacement had a full vagal reactivation very fast in relation to women with hormonal therapy. In conclusion, our results suggested that the type and intensity of exercise training influence in full vagal reactivation and consequently in heart rate on period of post-exercise recovery. Furthermore, hormone replacement therapy in menopause has a role important on the autonomic modulation of heart rate in both at rest and post-exercise period by different circuit training.
Palavras-chave: Frequência cardíaca
Exercícios em circuitos
Mulheres – Pós-menopausa
Terapia de reposição de estrogênios
Heart rate
Exercises on circuits
Women - Postmenopausal
Estrogen replacement therapy
Área do CNPQ: Educação Física
Idioma: por
País: Brasil
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Instituto de Ciências da Saúde - ICS::Curso de Graduação em Educação Física
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação Física
Citação: ROCHA, Alessandro José da. Recuperação da frequência cardíaca após diferentes protocolos de treino em circuito e sua relação com a variabilidade da frequência cardíaca de repouso em mulheres pós-menopausadas fisicamente ativas. 2016. 94f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2016.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Data do documento: 26-Feb-2016
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Alessandro J Rocha.pdfDissert Alessandro J Rocha3,13 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons