Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/375
Tipo: Tese
Título: Efeito do exercício físico multimodal nos biomarcadores inflamatórios, nas funções cognitivas e na força muscular em idosos com doença de Alzheimer
Autor: FERREIRA, Bruno Naves 
Primeiro orientador: COELHO, Flávia Gomes de Melo
Resumo: A doença de Alzheimer (DA) é uma doença neurodegenerativa e progressiva, a qual dentre as demências, apresenta maior prevalência. Com o aumento mundial da população idosa, a DA tem sido foco de investigação de muitos estudos, dentre eles, a relação da doença com biomarcadores, como citocinas inflamatórias. O exercício físico tem sido considerado um tratamento não-farmacológico, e dentre seus efeitos crônicos, é capaz de atenuar os níveis de inflamação, aumentar a força muscular e melhorar a cognição em idosos. Visto isso, o presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito do exercício físico multimodal (EFM) nos biomarcadores inflamatórios, nas funções cognitivas e na força muscular em idosos com DA. A amostra do estudo foi composta por 19 idosos com DA no estágio leve e moderado da doença, estes foram divididos por conveniência em dois grupos, sendo 8 no grupo controle (GC), que seguiu sua rotina normalmente sem participação em programas de exercício físico por 12 semanas e 11 no grupo treinamento (GT), que realizou um programa de EFM com duração de 60 minutos, frequência de 3 vezes semanais, durante 12 semanas. Os grupos foram avaliados em dois momentos, sendo pré e pós 12 semanas. No protocolo de avaliação foram utilizados os seguintes instrumentos: Escore de avaliação clínica de demência (CDR), Questionário Baecke Modificado para Idosos (QBMI,) Mini-exame do estado mental (MEEM), Bateria de avaliação frontal (BAF), Teste do desenho do relógio (TDR), Escala de depressão geriátrica (GDS), Teste de levantar-se e sentar-se na cadeira em 30 segundos (TLSC), Força de preensão manual (FPM) e Resistência de Membro Superior (RMS). Também foi coletado amostra sanguínea para avaliação de biomarcadores inflamatórios (IL-6, IL-10 e TNF-α) e posteriormente analisados por ELISA. O programa de EFM foi de intensidade moderada, sendo que cada sessão de aula teve enfoque em diferentes capacidades físicas, sendo capacidade aeróbia e força muscular; capacidade aeróbia, agilidade e equilíbrio; força muscular, agilidade e equilíbrio. Para as variáveis de caracterização, utilizou-se o teste de U Mann Whitney para verificar se havia alguma diferença entre os grupos (GT e GC) no momento pré-intervenção. Foram realizados análise descritiva dos dados por meio de média e desvio padrão, e utilizou-se o teste de U Mann Whitney para comparação intergrupos e o de Wilcoxon para a comparação intragrupos. O estudoapontou melhora das funções executivas apresentado na BAF (p≤0,05), força de membros inferiores pelo TLSC (p=0,006) e nível de atividade física pelo QBMI (p=0,007) no GT além de uma tendência no MEEM (p≤0,08). O GC também apresentou melhora no TLSC (p=0,033). Não houve resposta significativa nos biomarcadores inflamatórios, inclusive, muitos idosos não apresentaram concentrações dos mesmos nas amostras sanguíneas. De acordo com o presente estudo o treinamento de EFM melhora as funções cognitivas frontais, a força muscular de membros inferiores e o nível de atividade física de idosos com DA. Não apresentando melhora nos biomarcadores inflamatórios. É importante ressaltar que o teste utilizado para análise dos biomarcadores não foi capaz de detectar concentrações de TNF-α em nenhum dos idosos com DA e somente alguns detectaram IL-6 e IL-10.
Resumo: Alzheimer’s disease (AD) is a progressive neurodegenerative disease, it is the most commom cause of dementia. With the worldwide increase in the elderly population, AD has been the focus of research in many studies, among them the relation of disease with biomarkers, such inflammatory cytokines. Physical exercise has been considered a non-pharmacological tratment, and its chronic effects are able to attenuate inflammation levels, increase muscle strenght and improve cognition in the elderly. Considering this, the presenty study aimed to evaluate the effect of multimodal physical exercise (MPE) on inflammatory biomarkers, congnitive function and muscle strenght in elderly with AD. The sample consisted of 19 elderly with AD, in the mild and moderate stage of the disease, who were divided for convenience into two groups, 8 of them in the control group (CG), who followed their routine without participation in physical exercise programs for 12 weeks and 11 in the training group (TG), who performed a MPE program of 60 minutes, 3 times weekly, for 12 weeks. The groups were evaluated in two moments, pre and post 12 weeks. In the evaluation protocol, the following instruments were used: Clinical Dementia Rating Score (CDR), Modified Baecke Questionnaire (MBQ), Mini-Mental State Examination (MMSE), Frontal Assessment Battery (FAB), Clock Drawing Test (CDT), Geriatric Depression Scale (GDS), Chair Stand Test (CST), Hand Grip Strenght (HGS) and Resistance test of superior members (RSM). Blood samples were also collected for the evaluation of inflammatory biomarkers (IL-6, IL-10 and TNF-α) and analyzed by ELISA. The MPE program was of moderate intensity, and each class session focused on different physical abilities, being aerobic capacity, and muscular strenght; aerobic capacity, agility and balance; muscular strenght, agility and balance. For characterization variables, the U Mann Whitney test was used to verify if there was any difference between the groups (TG and CG) at the pre-intervention moment. Data were analyzed by means of mean and standard deviation, using the U Mann Whitney test for intergroup comparisons and the Wilcoxon test for intragroup comparison. The study showed improvement of the executive functions presented in FAB (p≤0,05), strenght of lower limbs by the CST (p=0,006) and physical activity level by the QBM (p=0,007) in the TG, in addition a tendency in the MMSE and RSM (p≤0,08). The CG presented also showed improvement in CST (p=0,033). There wasno significant response in inflammatory biomarkers, and many elderly patients did not presente concentrations in the blood samples. According to the presente study, the MPE training improves the frontal cognitive functions, muscular strenght and physical activity level of the elderly with AD. No improvement in inflammatory biomarkers. It is importante to note that the test used to analysed the biomarkers was not able to detect TNF-α concentrations in any of the elderly with AD, and only a few detected IL-6 and IL-10.
Palavras-chave: Exercício.
Doença de Alzheimer.
Cognição.
Força Muscular.
Inflamação.
Exercise.
Alzheimer Disease.
Cognition.
Muscle Strength.
Inflammation.
Área do CNPQ: Educação Física
Idioma: por
País: Brasil
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Instituto de Ciências da Saúde - ICS::Curso de Graduação em Educação Física
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação Física
Citação: FERREIRA, Bruno Naves. Efeito do exercício físico multimodal nos biomarcadores inflamatórios, nas funções cognitivas e na força muscular em idosos com doença de Alzheimer. 2017. 97f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2017.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Data do documento: 20-Feb-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Bruno N Ferreira.pdfDissert Bruno N Ferreira1,23 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons