Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/409
Tipo: Dissertação
Título: Influência do nível de atividade física sobre a recuperação autonômica cardíaca após sessão aguda de exercício físico em diabético tipo 2
Autor: SILVA NETO , Vicente Matias da 
Primeiro orientador: BARBOSA NETO, Octávio
Resumo: A Neuropatia autonômica cardíaca (NAC) é um distúrbio do controle autonômico cardíaco, decorrente de inúmeros processos patológicos, dentre eles o Diabetes Mellitus é um dos mais importantes devido a sua alta prevalência. A NAC promove um desequilíbrio simpatovagal de repouso, que pode ser refletido também durante períodos de recuperação pós-exercício. A mesma pode ser avaliada pela análise da Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC), tanto no repouso quanto na recuperação pós-exercício, sendo esta última avaliada por métodos específicos para tal período, pois o exercício físico proporciona uma alteração nas influências simpáticas e parassimpáticas sobre o coração, necessitando que ocorra o retorno destas influências autonômicas sobre o coração ao equilíbrio de repouso. A lentidão nesta recuperação do equilíbrio autonômico representa um grande risco à saúde cardiovascular devido ao alto risco de acometimento de eventos cardiovasculares decorrentes deste estado de desequilíbrio autonômico. O principal objetivo deste estudo foi avaliar a influência do nível de atividade física sobre a recuperação autonômica após esforço físico em indivíduos diabéticos tipo 2. Foram avaliados neste estudo 14 indivíduos diabéticos de ambos os sexos, divididos em dois grupos: fisicamente ativos (DMFA; n = 7; idade: 57,57 ±2,47 anos) e insuficientemente ativos (DMIA; n = 7; idade: 54,29 ±2,67). A análise da VFC de repouso foi realizada através do registro eletrocardiográfico, utilizando-se métodos, tanto no domínio do tempo quanto da frequência. Para avaliação da recuperação autonômica cardíaca, os voluntários realizaram um teste de esforço submáximo, seguindo o protocolo de Bruce. Foram utilizados os métodos Time-varying e análise Tempo-frequência da VFC, obtendo-se os índices RMSSD e HF, a partir de consecutivas janelas de 30 segundos e de 1 minuto, respectivamente. Para análise comparativa entre grupos foi utilizado o teste t de Student ou teste U de Mann-Whitney, de acordo com presença ou ausência de normalidade. Para análise do efeito agudo do exercício sobre a frequência cardíaca (FC) durante a recuperação foi utilizado o teste One-Way ANOVA e para avaliação da correlação entre nível de atividade física e atividade vagal cardíaca de repouso foi utilizado a análise de correlação de Pearson. O nível de significância adotado foi de 5 %. O grupo de diabéticos fisicamente ativos apresentou uma menor FC de repouso, assim como uma maior atividade vagal cardíaca durante o repouso e recuperação pós-exercício. O comportamento da FC durante o período de recuperação foi similar entre os dois grupos, porém o grupo de DMIA apresentou valores de FC mais elevados quando comparado aos seus níveis de repouso, mesmo após 30 minutos de recuperação. Quanto à análise da reativação vagal plena evidenciamos que somente o grupo DMFA alcançou a completa reativação vagal plena. Concluímos que a prática regular deatividade física é eficaz em promover melhorias no comportamento autonômico de repouso, assim como na recuperação autonômica pós-exercício
Resumo: Cardiac Autonomic Neuropathy (CAN) is a disorder in cardiac autonomic control, due to several pathological processes, among them Diabetes Mellitus is one of the most important due to its high prevalence. CAN promotes sympathovagal imbalance at rest, which can also be reflected during periods of post-exercise recovery. It can be evaluated by the analysis of the Heart Rate Variability (HRV), both at rest and in the post-exercise recovery, the latter being evaluated by specific methods for this period. Physical activity provides a change in the sympathetic and parasympathetic influences on the heart, necessitating the return of these autonomic influences on the heart to the rest equilibrium. The slowness in this recovery of the autonomic balance represents a great risk to cardiovascular health due to the high risk of cardiovascular events due to this state of autonomic imbalance. The main objective of this study was to evaluate the influence of the level of physical activity on autonomic recovery after physical effort in type 2 diabetic individuals. In this study 14 diabetic subjects of both sexes were divided into two groups: physically active (DMFA; n = 7; age: 57.57 ± 2.47 years) and insufficiently active (DMIA; n = 7; age: 54.29 ± 2.67). The HRV at rest analysis was performed through the electrocardiographic record, using both time and frequency methods. To evaluate the cardiac autonomic recovery, the volunteers performed a submaximal stress test, following the Bruce protocol. Time-varying methods and HRV-Time-frequency analysis were used, obtaining the RMSSD and HF indexes, from consecutive 30-second and 1-minute windows, respectively. For comparative analysis between groups, the t-test of Student or Mann-Whitney U test was used, according to the presence or absence of normality. For the analysis of the acute effect of exercise on HR during recovery, the One-Way ANOVA test was used and Pearson's correlation analysis was used to assess the association between physical activity level and cardiac vagal activity. The level of significance was 5%. The group of physically active diabetics had a lower resting HR, as well as increased cardiac vagal activity during rest and post-exercise recovery. The HR behavior during the recovery period was similar between the two groups, however, the group DMIA presented higher HR values when compared to their resting levels, even after 30 minutes of recovery. Regarding the analysis of the full vagal reactivation, we showed that only the DMFA group achieved complete full vagal reactivation. We conclude that the regular practice of physical activity is effective in promoting improvements in the autonomic behavior at rest, as well as in the autonomic recovery after exercise.
Palavras-chave: Diabetes Mellitus tipo 2.
Atividades físicas.
Frequência Cardíaca.
Neuropatias Diabéticas.
Type 2 diabetes mellitus.
Physical Activities.
Heart Rate.
Diabetic Neuropathies.
Área do CNPQ: Esporte e Exercício
Idioma: por
País: Brasil
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Instituto de Ciências da Saúde - ICS::Curso de Graduação em Educação Física
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação Física
Citação: SILVA NETO, Vicente Matias da. Influência do nível de atividade física sobre a recuperação autonômica cardíaca após sessão aguda de exercício físico em diabético tipo 2. 2017. 77f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2017.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Data do documento: 15-Mar-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Vicente M S Neto.pdfDissert Vicente M S Neto1,29 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons