Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/471
Tipo: Dissertação
Título: Avaliação de um programa de fortalecimento dos músculos extensores do punho por meio do biofeedback BioControl
Autor: ZAGO, Najara Nader 
Primeiro orientador: FERNANDES, Luciane Fernanda Rodrigues Martinho
Resumo: O primeiro artigo teve como objetivo avaliar se um protocolo de treinamento em rampa com uso do biofeedback, para os músculos extensores do punho, irá proporcionar um melhor desempenho durante a execução de uma tarefa de exercícios combinados de isotonia e isometria e com variação nas cargas. Foram incluídos 3 homens com idade média de 22 (±2) anos e destros. Para a avaliação do controle da força foi desenvolvida uma tarefa de 70 segundos de duração com exercícios combinados de isotonia concêntrica, excêntrica e isometria, e também com variação entre os níveis de carga, de 0 a 60% da CIVM, e para o treinamento foi prospoto um protocolo que consistiu na associação de exercícios isotônicos concêntricos e excêntricos realizados em rampa com carga máxima de 60% da CIVM. A avaliação e o protolo de treinamento foram realizados por meio do software de biofeedback BioControl. No segundo artigo o objetivo foi avaliar o controle da força dos músculos extensores do punho, com biofeedback em tarefas combinadas de exercícios isotônicos e isométricos e com cargas máximas de 60% e 80% da contração isométrica voluntária máxima, dos membros direito e esquerdo de mulheres. Foram incluídas 9 mulheres com média de idade de 24 (±3) anos, destras, estudantes universitárias. Para este estudo foram desenvolvidas duas tarefas de avaliação de 70 segundos de duração, com exercícios combinados de isotonia e isometria e também variação entre os níveis de carga. Cada voluntária realizou a avaliação das duas tarefas de controle de força dos músculos extensores do punho. Por último, o terceiro artigo teve como objetivo avaliar se houve aumento da força dos músculos da mão e redução dos escores de incapacidade funcional após a realização de um programa de fortalecimento utilizando o videogame E-Link para um paciente com fratura complexa do punho. Na fase do fortalecimento foram avaliadas as medidas de força instrumental, teste de 10 repetições máximas e questionários funcionais. O treinamento foi realizado no membro lesado, e seguindo o regime isotônico da técnica de Oxford. Foram realizadas 2 sessões semanais de fortalecimento, com duração de 40 minutos, totalizando 17 sessões. Para o primeiro artigo, concluímos que após o a realização do programa de treinamento com rampa, realizado com biofeedback, os voluntários apresentaram um maior controle da força dos músculos extensores do punho, avaliado pela tarefa proposta. No segundo artigo concluímos que na tarefa com maior percentual de carga em relação a contração isométrica voluntária máxima, as mulheres apresentaram menor controle da força dos músculos extensores do punho paraambos os membros. Nas etapas de contrações isométricas o controle da força foi menor e não houve diferença entre os membros tanto na análise das etapas, quanto na análise das tarefas. E no terceiro artigo concluímos que houve aumento das forças de preensão e de pinças e redução dos escores de incapacidade funcional, após 17 sessões de um programa de fortalecimento para os músculos da preensão e das pinças e, manutenção das forças após follow up de 4 meses.
Resumo: In the first article, the aim of study was to evaluate if a ramp training protocol using biofeedback for the wrist extensor muscles will provide better performance during the performance of a combined isotonic and isometric task exercises and load variation. Three men with mean age of 22 (± 2) years and right-handed individuals were included. For strength control was developed a task with 70 seconds of combined concentric, eccentric and isometric exercises and different load levels from 0 to 60% MVIC, and for was proposed a protocol that consisted of the association of concentric and eccentric isotonic exercises performed in a ramp with a maximum load of 60% of the MVIC. The task evaluation and training protocol were carrying out using the BioControl biofeedback software. In the second article, the aim was to evaluate the force control of the wrist extensor muscles, with biofeedback in combined isotonic and isometric task exercises and with maximal loads of 60% and 80% of the maximum voluntary isometric contraction, in right and left limbs. Nine women with mean age of 24 years (± 3) years, right-handed and university students were included. For this study were developed two tasks of 70 seconds, with combined isotonic and isometric exercises, as well as variation between levels of force. Each volunteer performed an evaluation of the two force control tasks of the wrist extensor muscles. Initially, a task order was draw, and performed on non-consecutive days. Lastly, the third article aimed to analyze the effect using the videogame E-link in handgrip and pinch strengthening in a patient with a complex wrist fracture. In the strengthening phase were evaluated the instrumental force measurements, 10 maximum repetitions test and functional questionnaires. The injured side was trained, and was performed the isotonic regimes of Oxford technique. For the first article, we conclude that after performing the ramp training program, performedwith biofeedback, the volunteers presented a greater control of the strength of the wrist extensor muscles, evaluated by the proposed task. In the second article, we conclude that in the task with a higher percentage of load in relation to a maximal voluntary isometric contraction, as the women showed less control of the strength of the wrist extensor muscles for both limbs. In the stages of isometric contraction or control of the force in the minor and there was no difference between the members in the analysis of the steps, as well as in the analysis of the tasks. In addition, in the third article, we conclude an increase in grip and pinch strength and a reduction of functional disability scores after 17 sessions of a strengthening program. It was confirmed the maintenance of the forces of grip and pinches after follow-up of 4 months.
Palavras-chave: Análise e Desempenho de Tarefas.
Força Muscular.
Contração Isotônica.
Contração Isométrica.
Treinamento de Resistência.
Biofeedback.
Task Performance and Analysis.
Muscle Strength.
Isotonic Contraction.
Resistance Training.
Biofeedback.
Área do CNPQ: Educação Física
Idioma: por
País: Brasil
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Instituto de Ciências da Saúde - ICS::Curso de Graduação em Educação Física
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação Física
Citação: ZAGO, Najara Nader. Avaliação de um programa de fortalecimento dos músculos extensores do punho por meio do biofeedback BioControl. 2017. 92f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2017.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Data do documento: 15-Feb-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Najara N Zago.pdfDissert Najara N Zago1,47 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons