Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/546
Tipo: Dissertação
Título: Religiosidade/Espiritualidade (R/E) na prática clínica psicológica: Experiências de psicoterapeutas
Autor: CUNHA, Vivian Fukumasu 
Primeiro orientador: SCORSOLINI-COMIN, Fábio
Resumo: O Brasil possui um contexto religioso/espiritual permeado por muitas crenças e experiências místicas, influenciando uma variedade de representações sociais presentes na população. Não é incomum, dentro desse universo de influências, que a dimensão da religiosidade/espiritualidade (R/E) apareça no contexto psicoterápico. No entanto, não é um tema frequente na formação em Psicologia, sendo apreendido, muitas vezes, como um tabu. Na atualidade, muitas evidências científicas apontam para uma relação positiva entre R/E e saúde física e mental, o que desperta o interesse para os conhecimentos e competências que os psicólogos devem desenvolver para abordar o assunto. Na tentativa de compreender e compor os estudos envolvendo a R/E, esta Dissertação teve por objetivo geral compreender como questões relacionadas à R/E apresentamse no contexto clínico de profissionais da Psicologia e a maneira como tais psicoterapeutas percebem, consideram e/ou incorporam tais aspectos em suas práticas. Foram realizados dois estudos. O objetivo do Estudo 1 foi conhecer a realidade profissional de psicoterapeutas no que tange às suas experiências clínicas e a dimensão da R/E. Já o Estudo 2 teve por objetivo conhecer o modo como psicoterapeutas experienciam a R/E em suas vidas pessoais e como tal dimensão se relaciona com o trabalho em Psicologia Clínica. Ambos os estudos foram de caráter exploratório, qualitativos, de corte transversal. Participaram dos estudos 24 psicoterapeutas, com tempo médio de atuação de 10,54 anos, predominantemente feminino (n = 18), de duas cidades de médio porte, uma no interior do Estado de São Paulo e outra no interior do Estado de Minas Gerais. A entrevista semiestruturada e audiogravada foi o instrumento de coleta de dados utilizado. Todas as entrevistas foram transcritas na íntegra, analisadas conforme a análise de conteúdo temático e interpretadas pela literatura que envolve R/E na sua interface com a psicoterapia. No Estudo 1 observou-se a importância da R/E para todos os psicoterapeutas, embora não tenha sido suficientemente abordada em suas formações de graduação e pós-graduação. A exploração da R/E partiu das demandas dos clientes, apresentando-se ora como um importante recurso para intervenção, ora impedindo o desenvolvimento de muitas condições. As recentes proposições dos Conselhos de Psicologia referentes à R/E são desconhecidas pelos profissionais, o que sugere a necessidade de maior diálogo entre eles. O Estudo 2 permitiu identificar que os psicoterapeutas, em sua maioria, possuem crenças e vivências religiosas/espirituais que permeiam a relação psicoterápica, mostrando-se interessados em incluir essas temáticas, embora com dificuldades pessoais para tanto. Nos dois estudos, a ausência do tema na formação em Psicologia foi destacada como uma realidade, o que, possivelmente, reflete-se nas dificuldades profissionais e pessoais ligadas ao assunto, dificultando a assunção de uma prática integrativa. Acredita-se que as perspectivas apresentadas por esses profissionais possam contribuir com os estudos envolvendo a temática, de maneira a repensar a importância da discussão do tema na formação e na atuação profissional, assim como compreender a condição dos sujeitos (pacientes e psicólogos) envolvidos nessa relação, permeados por uma subjetividade que inclui também representações explícitas ou implícitas acerca da R/E.
Resumo: Brazil has a religious/spiritual context permeated by many mystical beliefs and experiences, influencing a variety of social representations present in the population. It is not uncommon, within this universe of influences, that the dimension of religiosity/spirituality (R/E) appears in the psychotherapeutic context. However, it is not a frequent theme in Psychology training, being often apprehended as taboo. At present, many scientific evidence points to a positive relationship between R/E and physical and mental health, which arouses interest in the knowledge and skills that psychologists must develop to address the issue. In an attempt to understand and compose the R/E studies, this dissertation had the general objective to understand how R/E related issues are presented in the clinical context of Psychology professionals and the way in which such psychotherapists perceive, consider and/or incorporate such aspects into their practices. Two studies were carried out. The objective of Study 1 was to know the professional reality of psychotherapists regarding their clinical experiences and the R/E dimension. Study 2 aimed to know how psychotherapists experience R/E in their lives, as well as in the work in Clinical Psychology. Both studies were exploratory, qualitative, cross-sectional studies. Twenty-four psychotherapists, with an average practice time of 10.54 years, predominantly female (n = 18), were studied in two medium-sized cities, one in the countryside of the State of São Paulo and another in the countryside of the State of Minas Gerais. The semistructured and audiorecorded interview was the instrument used of data collection. All the interviews were transcribed in full, analyzed according to the thematic content analysis and interpreted by the literature that involves R/E in its interface with psychotherapy. In Study 1 we observed the importance of R/E for all psychotherapists, although it has not been adequately addressed in its undergraduate and graduate programs. The exploration of R/E was based on the demands of the clients, presenting itself as an important resource for intervention, sometimes hindering the development of many conditions. The recent proposals of the Councils of Psychology regarding R/E are unknown by professionals, which suggests the need for greater dialogue between them. Study 2 allowed us to identify that psychotherapists, in their majority, have religious and spiritual beliefs and experiences that permeate the psychotherapeutic relationship, being interested in including these themes, although with personal difficulties to do so. In both studies, the absence of the theme in Psychology training was highlighted as a reality, which possibly reflects on the professional and personal difficulties related to the subject, this makes it difficult to adopt an integrative practice. It is believed that the perspectives presented by these professionals can contribute to the studies involving the subject, in order to rethink the importance of the discussion of the subject in the formation and the professional condition, as well as to understand the condition of the subjects (patients and psychologists), both the actors involved in this relationship, permeated by a subjectivity that also includes explicit or implicit representations about R/E.
Palavras-chave: Espiritualidade.
Psicoterapia.
Psicologia Clínica.
Religião.
Spirituality.
Psychotherapy.
Psychology, Clinical.
Religion.
Área do CNPQ: Psicologia
Idioma: por
País: Brasil
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Citação: CUNHA, Vivian Fukumasu. Religiosidade/Espiritualidade (R/E) na prática clínica psicológica: Experiências de psicoterapeutas. 2017. 128f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2017.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Data do documento: 11-Dec-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Vivian F Cunha.pdfDissert Vivian F Cunha2,16 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons