Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/587
Tipo: Dissertação
Título: Escala de Desenvolvimento Motor: adaptação para crianças com baixa visão dos 07 aos 10 anos de idade
Autor: SANTOS, Maria Cecília Souza 
Primeiro orientador: PEREIRA, Karina
Resumo: A baixa visão é uma disfunção irreversível na função visual, que pode influenciar nas condições de saúde da criança e exigir adequações no ambiente. O uso de instrumentos adaptados para esta população é essencial para que os profissionais possam avaliar e acompanhar o seu desenvolvimento motor. Assim, o presente estudo tem o intuito de adaptar a Escala de Desenvolvimento Motor (EDM) para crianças com baixa visão dos 7 aos 10 anos de idade. Para isso, foram elaborados dois estudos. O primeiro trata-se de uma revisão integrativa que teve como objetivo conhecer, compreender e analisar os estudos que utilizaram a Escala de Desenvolvimento Motor como instrumento de avaliação motora. As bases de dados pesquisadas foram a Scielo, Pubmed, Lilacs, Science Direct, Web of Science, Scopus e a Cochrane para identificar os estudos. Trinta e três estudos atenderam aos critérios de inclusão. A avaliação da qualidade metodológica dos estudos transversais foi analisada pela Escala de Loney, dos ensaios clínicos pela Physiotherapy Evidence Database (PEDro) e dos estudos longitudinais pela Newcastle Otawwa Scale (NOS). A prevalência foi de estudos transversais que obtiveram como desfecho principal a análise do desenvolvimento motor de escolares, com transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), dificuldades de aprendizagem, crianças com sobrepeso e obesidade, nascidas prematuras e síndrome de Down. Os estudos apresentaram critérios claros para medir o desfecho, com resultados estatisticamente consistentes, embora não tenham atingido pontuação mínima (sete pontos) estabelecida pelas escalas de avaliação. O segundo estudo teve como objetivo adaptar a EDM para crianças com baixa visão dos 7 aos 10 anos de idade. Foram recrutadas 22 crianças com baixa visão, a partir de uma amostra obtida de instituições especializadas e escolas que contam com o atendimento a pessoas com deficiência visual. Após o consentimento dos responsáveis, as crianças foram avaliadas com a aplicação da EDM. Para isso, realizou-se um pré-teste em três crianças com baixa visão, por meio da aplicação original da escala EDM, com o intuito de identificar quais provas motoras poderiam apresentar dificuldades de compreensão e visualização ao serem executadas. A partir do pré-teste, algumas adaptações preliminares foram realizadas com o intuito de favorecer a compreensão e a percepção visual das provas motoras. As adaptações foram enviadas a cinco juízes especialistas na área (uma psicopedagoga, três fisioterapeutas e uma médica oftalmologista), e após avaliação, verificouse que não houve concordância dos mesmos (≤80%) nas provas motoras de motricidade fina (6 e 10 anos); na motricidade global (7, 10 e 11 anos); no esquema corporal (2 aos 5 e 6 aos 11 anos); na organização espacial (11 anos) e na organização temporal (6 ao 11 anos, noestágio 2, simbolização de desenhos e estruturas espaciais e no estágio 3 na simbolização das estruturas temporais). Foram propostas novas adaptações e reenviadas aos mesmos juízes. Após nova rodada de avaliação, a escala foi adaptada com nível de concordância ≥ 80% em todos os itens avaliados pela escala. A EDM adaptada foi reaplicada nas três crianças que apresentaram melhor compreensão e visualização para realização dos testes. Posteriormente, a escala foi aplicada em 19 crianças com baixa visão por dois avaliadores para testar a confiabilidade das adaptações. Os resultados foram analisados por meio de testes de confiabilidade interavaliadores e teste-reteste nas idades motoras e nos quocientes motores da EDM. Constatou-se excelente confiabilidade na análise interavaliadores (CCI≥1,000) e testereteste (CCI≥0,990) para a idade motora e excelente confiabilidade interavaliadores (CCI≥1,000) e teste-reteste (CCI≥0,997) para os valores do quociente motor. Conclusões: A revisão integrativa permitiu identificar que a EDM vem sendo amplamente utilizada no Brasil, em estudos transversais, com prevalência em crianças na faixa etária dos 6 aos 11 anos de idade em populações com desenvolvimento motor típico e atípico, destacando as pesquisas com TDAH e dificuldades de aprendizagem no ambiente escolar. A EDM foi adaptada para crianças com baixa visão dos 7 aos 10 anos de idade.
Resumo: Low vision is an irreversible dysfunction in visual function, which can influence the health conditions of the child and require adjustments in the environment. The usage of instruments adapted to this population is essential so that professionals can evaluate and monitor their motor development. Thus, the current study intends to adapt the Motor Development Scale (MDS) for children with low vision from 7 to 10 years of age. For this, two studies were elaborated, the first one is an integrative review that had as objective to know, to understand and to analyze the studies that utilized the Motor Development Scale as instrument of motor evaluation. The databases Scielo, Pubmed, Lilacs, Science Direct, Web of Science, Scopus and Cochrane were used to identify the studies. Thirty three studies met the inclusion criteria. The evaluation of the methodological quality of cross-sectional studies was analyzed by the Loney Scale, clinical trials by the Physiotherapy Evidence Database (PEDro) and longitudinal studies by Newcastle Otawwa Scale (NOS). The prevalence was of cross-sectional studies that had as main outcome the analysis of the motor development of schoolchildren with ADHD, learning difficulties, overweight and obese children, premature babies, and Down syndrome. The studies presented clear criteria to measure the outcome with statistically consistent results, although the studies did not reach a minimum score (seven points) established by the evaluation scales. The second study aimed to adapt the MDS to children with low vision from 7 to 10 years of age. Twenty-two children with low vision were recruited from a sample obtained an of specialized institutions and schools that provide care for people with visual impairment. After the consent of those responsible, the children were evaluated with the application of MDS. For this, a pre-test was performed in three children with low vision, through the original application of the MDS scale, in order to identify which motor evidence could present difficulties of understanding and visualization when being executed. From the pre-test, some preliminary adaptations were made with the purpose of favoring the comprehension and the visual perception of the motor tests. The adaptations were sent to five specialists in the area (a psych pedagogue, three physiotherapists and a medical ophthalmologist), and after evaluation, and after evaluation, verified that they did not agree (≤80%) in the fine motor tests (6 and 10 years); in the global motor skills (7, 10 and 11 years); in the body schema (2 to 5 years and 6 to 11 years); in spatial organization (11 years) and in temporal organization (6 to 11 years in stage 2, symbolization of spatial designs and structures and in stage 3 in the symbolization of temporal structures). New adaptations were proposed and resubmitted to the same judges. After a new evaluation round, the scale was adapted withan agreement level ≥ 80% in all items evaluated by the scale. The adapted MDS was reapplied in the three children who presented better understanding and visualization for the tests. Subsequently, the scale was reapplied in 19 children with low vision by two evaluators and the results showed good reliability of the adapted instrument. The results were analyzed using inter-rater reliability tests and test-retest in motor ages and EDM motor quotients. The interrater (CCI≥1,000) and retest (CCI≥0,990) for motor age and excellent inter-rater reliability (CCI≥1,000) and retest test (CCI≥0,997) for motor quotient values were found to be very good. Conclusion: The integrative review identified that EDM has been widely used in Brazil, in cross-sectional studies, with prevalence in children aged from 6 to 11 years old in populations with typical and atypical motor development, emphasizing research on ADHD and difficulties learning in the school environment. The MDS was adapted for children with low vision from 7 to 10 years of age and presented good reliability.
Palavras-chave: Crianças.
Baixa visão.
Escala de desenvolvimento motor.
Adaptação.
Children.
Low vision.
Motor development scale.
Adaptation.
Área do CNPQ: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Idioma: por
País: Brasil
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Programa: Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia
Citação: SANTOS, Maria Cecília Souza. Escala de Desenvolvimento Motor: adaptação para crianças com baixa visão dos 07 aos 10 anos de idade. 2018. 114f. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) - Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2018.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Data do documento: 13-Jul-2018
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Maria Cecilia S Santos.pdfDissert Maria Cecilia S Santos3,51 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons