Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/654
Tipo: Tese
Título: Caracterização genotípica do loci alfa globínico de pacientes com microcitose e hipocromia com ou sem anemia
Autor: CARLOS, Aline Menezes 
Primeiro orientador: SOUZA, Helio Moraes
Resumo: Introdução: As talassemias, excluída a ferrodeficiência, são as principais causas de anemias microcíticas em todo mundo. A α-talassemia, caracterizada por alterações genéticas que afetam o cluster de genes α-globina no cromossomo 16p13.3, é uma das hemoglobinopatias mais amplamente difundidas em todo o mundo. Nas últimas décadas, diversas metodologias e abordagens para o diagnóstico dessas alterações têm sido criadas e aplicadas, como o MLPA (multiplex ligation-dependent probe amplification) que vem ganhando destaque, permitindo a detecção de deleções e duplicações genômicas, conhecidas, novas ou raras de diferentes tamanhos. Neste trabalho buscamos elucidar as bases moleculares da anemia microcítica de indivíduos que não puderam ser definidas por outros métodos tradicionais. Materiais e Métodos: Oitenta e cinco pacientes com microcitose, sem ferrodeficiência, triados para α- talassemia por meio do Multiplex-gap-PCR, foram investigados utilizando-se o MLPA. Resultados: Dos 85 pacientes analisados pelo MLPA, 32 (37,65%) apresentaram outras alterações moleculares afetando o cluster α-globínico, que não haviam sido identificadas pela PCR. Destes, 13 (15,29%) pacientes que apresentaram genótipo normal no Multiplex-gap-PCR, quando analisados pela técnica de MLPA, foram identificadas as seguintes alterações: em 10 (11,76%) foram detectados somente os polimorfismos 3B (3 pacientes), 4A (3 pacientes), 4B (1 paciente), Africano 1 (α212) (2 pacientes) e associação dos polimorfismos Africano 1 (α212) e 3B (1 paciente); em dois (2,35%) uma deleção da região reguladora HS-40 e suas sequências adjacentes e em um (1,18%) uma extensa duplicação que envolveu desde a região POLR3K-3 até HBQ1-3. Este caso resultou num alelo com 4 genes α expressos (αααα/αα), abrangendo uma região com cerca de 140 kilobases. Além destes em outros 19 (22,35%) pacientes que no Multiplex-gap-PCR haviam sido detectada a deleção 3.7, tanto em heterozigose quanto homozigose, quando analisados pela técnica de MLPA, além desta deleção foram identificados em 14 (16,47%) a associação com os polimorfismos 3A (1 paciente), 3B (1 paciente), 4A (2 pacientes), 4B (5 pacientes), Africano 1 (α212) (3 pacientes), além da combinação entre os polimorfismos 3B e 4B (1 paciente) e os polimorfismos 1B, 3B e Africano 1 (α212) (1 paciente). Nos outros cinco (5,88%) foram observadas associações com outras formas delecionais. Das quais em dois (2,35%) foram detectadas uma deleção rara, de cerca de 67 kilobases de DNA, na região reguladora do gene α (HS-40) e suas regiões adjacentes (POLR3K-3), um (1,18%) com uma extensa deleção que eliminou tanto os genes α quanto a sua região regulatória do HS-40, com aproximadamente 70 kilobases de DNA, que de acordo com tamanho e os breakpoints aproximados, esta deve-se tratar de uma nova deleção α0. E outros dois (2,35%) associados à uma nova deleção α+, que eliminou tanto o gene zeta quanto os pseudogenes α2 e α1, com aproximadamente 17.2 kilobases de DNA, que de acordo com tamanho e os breakpoints aproximados, esta deve-se tratar de uma nova deleção α+. Conclusão: A técnica MLPA nos permitiu esclarecer as bases moleculares das α-tal de pacientes com microcitose de origem obscura que não haviam sido identificadas pelo multiplex-PCR, contribuindo com a conclusão diagnóstica.
Resumo: Introduction: The thalassemias, excluding iron deficiency, are the main causes of microcytic anemia worldwide. The α-thalassemia, characterized by genetic alterations affecting the α-globin gene cluster on chromosome 16p13.3, is one of the most widely disseminated hemoglobinopathies in the world. In the last few decades, several methodologies and approaches for the diagnosis these alterations have been developed and applied, such as MLPA (Multiplex Ligation-dependent Probe Amplification), which allows for detection genomic deletions and duplications, known, new or rare of varying sizes. This work seeks to elucidate the molecular basis of cases of microcytic anemia that could not be defined by other traditional methods. Material and Method: Eightyfive patients with microcytosis without iron deficiency and screened for α-thalassemia by multiplex-gap-PCR, were evaluabled using MLPA. Results: Of the 85 patients analyzed by MLPA, 32 (37.65%) had other molecular alterations affecting the α-globin cluster, which had not been identified by PCR. Of these, 13 (15.29%) patients who presented normal genotype in Multiplex-gap-PCR, when analyzed by the MLPA technique, the following molecular alterations were identified: in 10 (11.76%) only 3B (1 patient), 4A (3 patients), 4B (1 patient), African 1 (α212) (2 patients) polymorphisms and association of African 1 (α212) and 3B polymorphisms (1 patient); in two (2.35%) a deletion of the HS-40 regulatory region and its adjacent sequences and in one (1.18%) an extensive duplication involving from the POLR3K-3 region to HBQ1-3. This case resulted in an allele with four expressed α genes (αααα/αα), covering a genomic region of approximately 140 kilobases. In addition to this, in 19 (22.35%) patients that in the Multiplex-gap-PCR had been detected the deletion 3.7, both in heterozygosis and homozygous, when analyzed by the MLPA technique, beyond this deletion were identified in 14 (16.47%) the association with 3A (1 patient), 3B (1 patient), 4A (2 patients), 4B (5 patients), African 1 (α212) (3 patients) polymorphisms, and a combination between 3B and 4B (1 patient) polymorphisms and 1B, 3B and African 1 (α212) (1 patient) polymorphisms. In the other five (5.88%) associations with other deletions were observed. Of which in two (2.35%) a rare deletion of about 67 kilobases of DNA was detected, in the α-gene regulatory region (HS-40) and its adjacent regions (POLR3K-3), one (1.18 %) with an extensive deletion that eliminated both α-genes and their HS-40 regulatory region, with approximately 70 kilobases of DNA, which according to size and approximate breakpoints, this should be a new α0 deletion. And another two (2.35%) associated with a new α+ deletion, which eliminated both the zeta gene and the α2 and α1 pseudogenes, with approximately 17.2 kilobases of DNA, which according to size and approximate breakpoints, if it is a new α+ deletion. Conclusion: The MLPA technique allowed us to clarify the molecular basis of α-thalassemia in patients with obscure microcytosis that had not been identified by multiplex PCR, thereby contributing to the diagnostic conclusion.
Palavras-chave: Talassemias α.
Anemia microcítica.
Diagnóstico molecular.
Amplificação de Múltiplas Sondas Dependentes de Ligação (MLPA).
Doença da Hb H.12.
α-thalassemia
microcytic anemia
Molecular diagnosis.
Multiplex Ligationdependent Probe Amplification (MLPA).
Hb H disease
Área do CNPQ: Genética Humana e Médica
Idioma: por
País: Brasil
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Instituto de Ciências da Saúde - ICS::Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Citação: CARLOS, Aline Menezes. Caracterização genotípica do loci alfa globínico de pacientes com microcitose e hipocromia com ou sem anemia. 2018. 98f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2018.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Data do documento: 12-Dec-2018
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese Aline M Carlos.pdfTese Aline M Carlos4,58 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons