Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.uftm.edu.br/handle/tede/554
Tipo: Dissertação
Título: Adaptação à vida acadêmica e fatores associados à qualidade de vida de estudantes de Ciências da Saúde
Título(s) alternativo(s): Adaptation to academic life and factors associated with the quality of life of health science students
Autor: BRAGA, Alexandre Marcos Rodrigues 
Primeiro orientador: PEDROSA, Leila Aparecida Kauchakje
Resumo: Ao ingressarem no ensino superior, os estudantes de ciências da saúde serão envolvidos no processo ensino-aprendizagem relacionado à saúde, contudo, mesmo com a aquisição de conhecimento sobre esse tema eles podem não adotar hábitos e estilos de vida saudáveis. A vivência acadêmica inicia-se com o ingresso do estudante na universidade e demanda adaptação a um novo modelo de educação que exige maior autonomia na construção do conhecimento e formação profissional por parte dos estudantes. É nesse período que os estudantes podem mudar seu estilo de vida e passar a adotar hábitos positivos ou negativos para a saúde, possivelmente influenciando também sua qualidade de vida. O presente estudo apresentou como objetivo geral analisar a influência de variáveis sociodemográficas, acadêmicas e de adaptação à vida acadêmica sobre a qualidade de vida de estudantes de ciências da saúde. Tratou-se de um estudo transversal com análise quantitativa dos dados, com utilização das escalas QVA-r e WHOQOL-bref. Participaram do estudo 471 estudantes de ciências da saúde da Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Os resultados apresentaram uma maior constituição da amostra por estudantes do sexo feminino (71,5%), com média de idade de 21,96 anos, solteiros (96,2%), com cor de pele autodeclarada branca (67,5%), residentes com a própria família (30,69%), oriundos de cidades diferentes da cidade onde estudam (62,4%), principalmente cidades do estado de Minas Gerais (55,7%). Os estudantes do curso de nutrição (201,59) e enfermagem (201,04) apresentaram os maiores índices de adaptação à vida acadêmica (201,59) e o maior escore foi observado no domínio carreira: x =3,85. Os maiores indicadores de qualidade de vida foram apresentados no curso de educação física x =71,17 e no domínio social x =72. Os estudantes autodeclarados brancos (p=0,019), com maior renda familiar (p=0,048), oriundos da cidade do estudo (p=0,013) e com os melhores escores de adaptação acadêmica na dimensão institucional (p<0,001) influenciaram positivamente a qualidade de vida no domínio meio ambiente.
Resumo: Upon entering higher education, health science students will be involved in the health-related teaching-learning process, however, even with the acquisition of knowledge on this subject they may not adopt healthy habits and lifestyles. The academic experience begins with the student's admission to the university and demands adaptation to a new model of education that demands greater autonomy in the construction of knowledge and professional training by the students. It is during this period that students can change their lifestyle and begin to adopt positive or negative habits for health, possibly also influencing their quality of life. The present study aimed to analyze the influence of sociodemographic, academic and adaptation variables on the quality of life of students of health sciences. This was a cross-sectional study with quantitative data analysis, using the QVA-r and WHOQOL-bref scales. A total of 471 health sciences students from the Federal University of Triângulo Mineiro participated in the study. The results showed a higher sample composition by female students (71,5%), mean age of 21,96 years old, single (96,2%), with self-reported white skin color (67,5%), with their own family (30.69%), coming from different cities of the city where they study (62,4%), mainly cities in the state of Minas Gerais (55,7%). Nursing students (201,59) and nursing (201,04) had the highest rates of adjustment to academic life (201,59) and the highest score was observed in the career domain: x = 3,85. The highest quality of life indicator was presented in the physical education course x = 71,17 and in the social domain x = 72. White selfreported students (p=0,019), with higher family income (p=0,048), from the study city (p=0,013) and with the best academic adjustment scores in the institutional dimension (p<0,001) positively influenced the quality of life in the environmental field.
Palavras-chave: Adaptação.
Qualidade de vida.
Estudantes de ciências da saúde
Enfermagem.
Adaptation.
Quality of life.
Students health occupations.
Nursing.
Área do CNPQ: Saúde Coletiva
Idioma: por
País: Brasil
Editora / Evento / Instituição: Universidade Federal do Triângulo Mineiro
Sigla da instituição: UFTM
Departamento: Instituto de Ciências da Saúde - ICS::Curso de Graduação em Enfermagem
Programa: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde
Citação: BRAGA, Alexandre Marcos Rodrigues. Adaptação à vida acadêmica e fatores associados à qualidade de vida de estudantes de Ciências da Saúde. 2017. 64f. Dissertação (Mestrado em Atenção à Saúde) - Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2017.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
Data do documento: 8-Dec-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Atenção à Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissert Alexandre M R Braga.pdfDissert Alexandre M R Braga968,57 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons